Menu em imagem

Image Map

21 janeiro 2018

{Etc e tal...} ~ O lado sombrio dos contos de fadas ~

Hey,  gente!
Tudo bem por aí?

Dia desses fiz um post cheio de amor falando sobre os personagens da Disney, lembram?
Não é segredo que grande parte desses contos foram adaptados para que fossem comercializados, dando um ar bem lúdico e fantasioso para que nossos corações fossem arrebatados e ficassem quentinhos, mas a verdade é que os contos reais não são tão lindos assim.

Os contos de fadas que conhecemos são cheios de magia, lindas histórias e finais felizes. Mas será que, na íntegra, na real, eles são realmente tudo isso? Já adianto que não.

Quem são os mais conhecidos escritores dos mais conhecidos contos de fadas? De onde veio a inspiração para tais contos? Hoje vamos falar sobre as inspirações históricas dos mesmos e também conhecer um pouquinho mais sobre a versão original de alguns deles. Bora?


Aonde está o glamour no fato de que Chapeuzinho Vermelho cometeu canibalismo ao comer a vovozinha? Ou no fato de a Bela Adormecida ter sido estuprada enquanto dormia o seu sono "terno"? Que beleza há no suicídio cometido por Ariel, de A Pequena Sereia? Não há. As histórias originais são mais sangrentas e macabras do que vocês podem imaginar, pipows! São dignas de um livro do meu tão adorado Stephen King. E sabe o que é mais assustador? Nada disso é ficção. Todas as atrocidades narradas nesses contos têm fundo histórico, e saber de tudo isso fez com que eu ficasse mais ou menos fissurada no assunto - coração forevermente trevoso fica feliz com esse tipo de informação, é inevitável.

É sabido que a história da humanidade é suja e doentia em vários aspectos, e toda essa sujeira serviu de inspiração para os famosos Irmãos Grimm darem vida a tantos contos que conhecemos. Escondidos nesses contos estão fatos sobre esse nosso passado sujo numa época em que bruxas canibais e abusos sexuais faziam parte da rotina da população.

João e Maria

A história que conhecemos conta que João e Maria se perderam na floresta e, ao tentar encontrar o caminho de casa, acabaram se deparando com uma casa feita de doces, e que dentro dela, morava uma bruxa que queria engordá-los para comê-los no jantar.


No conto original, a família dos irmãos era tão pobre, mas tão pobre, que os pais resolveram abandonar os filhos na floresta por não ter condições de cria-los, e eles realmente se encontram com uma bruxa comedora de criancinhas, mas esqueçam a casinha de doces. Os acontecimentos relacionados ao canibalismo eram comuns no século XIX, e os próprios Irmãos Grimm mencionam no prefácio de seu conto que esses fatos são reais.

A verdade é que a fome era um problema recorrente, e por isso, muita gente chegou ao extremo de praticar o canibalismo, sim, e as então bruxas da época eram famosas por não terem vergonha de assumir que comiam carne humana. Mas não era maldade, era sobrevivência. Há, inclusive, indícios de que nossos antepassados também praticavam o canibalismo. Foram encontrados ossos humanos com marcas de dentes, marcas essas super parecidas com marcas encontradas em ossos de animais. Também foi encontrado sangue humano em panelas pré-históricas e em fezes fossilizadas. Mas, a prova mais concreta de que isso realmente aconteceu é o fato de que, ainda hoje, existe uma marca genética de mecanismos de defesa em nosso DNA, desenvolvidos especificamente para nos proteger de doenças que surgem quando se come carne humana. Chupa essa manga, gente! 😮

Cinderela

Cinderela vê sua vida mudando quando o pai se casa novamente, e essa madrasta sempre deixou claro sua aversão à menina. Seu pai morre e Cinderela é feita de criada por sua madrasta, que faz de tudo para inferniza-la e quer porque quer que uma de suas filhas se case com o príncipe. Cinderela consegue ir ao baile graças a ajuda de seus amigos e de uma fada madrinha e ela e o príncipe acabam vivendo felizes para sempre depois de todas aquelas coisinhas que já estamos carecas de saber.


A mortalidade de mulheres no parto era altíssima nos séculos passados. Com isso, vários e vários órfãos acabaram sendo criados pelas madrastas, e não é se de admirar que elas tenham predileção por seus filhos biológicos. Por essas e outras, elas se tornaram as vilãs mais cruéis das historinhas infantis. A culpa de tantas mortes em partos é, nada mais, nada menos, do que de nossa estrutura corporal. 

Os seres humanos são animaizinhos cabeçudos - e isso não é bullying. Nosso cérebro é responsável por 2,5% do nosso peso, uma proporção imensamente maior do que o das demais espécies - o cérebro dos elefantes, por exemplo, é responsável por somente 0,2% de seu peso, acreditam? Pra deixar tudo ainda mais doloroso, os quadris humanos são estreitos demais, o que explica as dores insuportáveis que nós mulheres sentimos no parto. A tecnologia hoje nos auxilia na hora de darmos a luz, mas antigamente, infelizmente, não era assim. Por isso, a maioria das mamães morriam ao trazer seus pimpolhos ao mundo, dando espaço para as madrastas malvadas entrarem na vida deles. Isso não quer dizer que todas elas eram malvadas, é claro que não! Mas a grande maioria sim, e às vezes, não era nem por maldade pura e simples. Voltando ao assunto da fome, por exemplo. As madrastas preferiam dar de comer aos seus do que aos filhos de seus esposos. E a maioria delas, é claro, queria os melhores casamentos para suas meninas e meninos, e não para os dos esposos. E de todos esses fatos nasce a ideia para criar a querida Cinderela.

A Bela e a Fera

Eis o conto mais conhecido e mais amado por nós, leitores. Isso porque a protagonista é uma leitora voraz e seu par tem uma biblioteca que é o sonho de consumo de todos nós, #bookaholics. Mas a realidade não tem nada de bonita. O destino de nossa amada Bela era o destino da maioria das mulheres dos séculos passados. Elas eram obrigadas a se casar, submeter-se a matrimônios arranjados, e muitas vezes, elas acabavam tendo que se casar com verdadeiras feras.


O mais assustador de toda essa história de casamentos arranjados era o fato de que as mulheres eram obrigadas a submeter-se a todas as vontades de seus maridos. Eles passavam a ser seus donos, e acho que nem preciso entrar em detalhes sobre o assunto, né. Já sabemos o que um homem que se acha dono de uma mulher é capaz de fazer.

Chapeuzinho Vermelho

Uma menininha inocente, que usava uma capa vermelha, é mandada pela sua mãe à casa da vovó, que estava doente, a fim de lhe levar uma cestinha cheia de doces. Ela vai pela estrada à fora, pela floresta, até que se depara com um Lobo Mau que quer seus docinhos e seu corpinho no jantar. Ele resolve ir à casa da vovó, prende-la em um armário e se passar por ela para ludibriar Chapeuzinho e ficar com os doces. Quando tenta comer tanto os doces quanto a Chapeuzinho, um caçador valente aparece e salva o dia.

A versão original não foi tão fofinha assim.


A história de Chapeuzinho Vermelho está longe de ser inocente. Assim como em João em Maria, há canibalismo, bem como stiptease e até uma proposta de golden shower. O começo é o mesmo: Chapeuzinho é mandada para a casa da sua avó e blábláblá. Na versão original, o lobo não só mata a vovozinha... ele a cozinha e separa o seu sangue em um jarro. Quando a Chapeuzinho chega, o lobo, disfarçado de vovozinha, induz a menininha a comer a refeição preparada por ele. Ela come como se não houvesse amanhã! Se empaturra daquela comidinha boa, mal sabendo que está comendo a carne de sua própria avó. Não satisfeito com a atrocidade da refeição, o lobo convida a menina a se deitar com ele na cama, mas nua. Ela obedece, mas antes, vai tirando cada peça de roupa lentamente - avental, vestido, sapatos e meias. Ela joga tudo na lareira acesa, e então percebe a burrada que fez. Ela tenta sair da cama, usa como desculpa o fato de que precisa fazer xixi, mas o lobo pede para que ela faça ali mesmo, na cama, ao seu lado. Depois de muitas coisas loucas, Chapeuzinho sai correndo da casa e consegue salvar sua própria pele. Bizarro, não?

A Pequena Sereia

Ariel é uma das filhas do Tritão, o rei dos mares. Ela se apaixona por um homem da terra, e para ter o seu amor, resolve barganhar com a bruxa dos oceanos. Em troca de pernas, ela dá sua linda voz a tal bruxa, assim, ela poderá ir à terra em busca do seu príncipe encantado. Ele se apaixona por ela perdidamente, eles se casam e vivem felizes para sempre. Só que não.


Na verdade, quando Ariel chega a terra com suas perninhas novinhas em folha, ela é esnobada. Ela passa meses e meses tentando fazer com que o príncipe se apaixone por ela, mas no fim das contas, ele se casa com outra, e de quebra ainda convida a ex-sereia para a cerimônia. Obrigada a assistir a felicidade alheia, na noite de núpcias do príncipe, ela tenta matar seu amado, mas acaba desistindo. Não suportando a dor de vê-lo com outra, ela acaba se jogando no mar, e imediatamente vira espuma. Sim, o suicídio está presente até mesmo nos contos de fadas.

A Bela Adormecida

Essa foi uma das versões que mais me chocou.
Uma das versões mais antigas do conto foi escrita pelo italiano Giambattista Basile, no século XVII. Nela, a heroína, que se chamava Tália, espeta seu dedinho numa farpa de linho e fica aparentemente morta, deitada num caixão lindo de morrer. Então aparece um príncipe que logo se encanta por sua beleza, e sem hesitar, ele resolve estupra-la, mesmo ela estando desacordada. Ele comete tal crime e volta para casa como se nada tivesse acontecido. Mas algo maior aconteceu: ela engravida de gêmeos.


Quando os bebês nascem, eles procuram o seio da mãe para se alimentar, mas acabam sugando o dedinho com a farpa sem querer. A tal farpa sai, e a Bela Adormecida desperta. Ela acorda confusa, sem entender o que aconteceu e de onde vieram aqueles bebês. Ela acaba descobrindo o que aconteceu e sai em busca do príncipe estuprador. Ela o encontra, casado e feliz no reino vizinho. Quando sua esposa descobre que a moça teve gêmeos de seu marido, ela resolve matar os gêmeos e servi-los para o príncipe traidor comer no jantar. Felizmente o cozinheiro que foi designado para cometer o crime se nega a fazê-lo e resolve esconder as crianças. A mulher traída, fula da vida, resolve então que irá queimar a princesa viva numa fogueira, como uma bruxa. O príncipe descobre os planos da esposa e consegue salvar Tália nos 48 do segundo tempo. Viva!
Mas a história não acaba por aí. Ele aproveita para colocar mais um crime em sua lista: homicídio. O príncipe estuprador homicida joga sua esposa na fogueira e se casa com a ex-Bela Adormecida.

Não sei o que me chocou mais. Ela ter sido estuprada enquanto "dormia" ou ter aceitado se casar com ele depois de tudo o que rolou.

Rapunzel

Engana-se quem pensa que as noites da mocinha presa à torre de um castelo eram sem graça. Negativo, minha gente. Elas eram bem calientes.


Segundo os Irmãos Grimm, no século XIX, a Rapunzel é presa ainda criança no alto de uma torre por uma bruxa maléfica. O tempo foi passando, ela foi se tornando uma moça cada vez mais linda, e na adolescência, para matar o tempo livre, ela recebia a visita de um certo príncipe vizinho. As visitas foram ficando mais frequentes, mais ousadas... e Rapunzel acaba engravidando. Ela dá a luz a gêmeos, e essa pequena blogueira não soube qual foi o desenrolar da história depois do nascimento dos bebês.

Como eu sou criativa pra caramba, arrisco dizer que eles desceram da torre usando os longos cabelos da moça, os venderam para comprar um apartamento e sobreviveram às custas dos gêmeos, que foram escolhidos como os "bebês Jhonson" da época. Ousadia pura, eu sei. Mas ficou original, não acham? Hehe.

***

E assim  descobrimos que os contos infantis, de infantis não têm nada. Eles deram um medinho até nesse pequeno coração trevoso. Imaginem só como deveria ser a cabeça das criancinhas da época, vivendo todas essas atrocidades e ouvindo contos tão macabros assim? São histórias dignas de serem contadas para os amigos em torno de uma fogueira de acampamento numa noite fria.

Conta aí: já conhecia alguma das versões originais? Sabia algo sobre esse passado negro da nossa humanidade?


Fonte: Revista Superinteressante


34 comentários:

  1. Eu já tinha lido todos esses contos uma vez, acho que foi na revista Mundo Estranho (amo essa revista), mas toda vez que alguém posta sobre isso, eu estou lá lendo tudo outra vez hehehehe.
    Não sei você, mas para mim a história mais assustadora é a da Chapeuzinho Vermelho, canibalismo, tentativa de estupro, uma quase zoofilia, Jesus, isso é demais para a minha cabeça aguentar hehehe.
    Amei a postagem <3

    Toca da Lebre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa revista é uma das minhas preferidas também, Nanda!
      A verdade é que pra mim todas são chocantes e assustadoras, viu. Mas, realmente, a de Chapeuzinho vermelho é uma das mais tensas!

      Beijocas

      Excluir
  2. Ooi, adorei o post.
    Já havia lido esses contos antes, mas toda vez que leio fico com um medinho kk.
    Não sei que história é mais assustadora, Chapeuzinho Vermelho ou Bela Adormecida, todas bem bizarras kk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bizarro demais, né?
      Pior ainda por saber que todas elas saíram de fatos reais... socorro!

      Beijocas

      Excluir
  3. Eu já tinha ouvido falar dessas versões macabras dos contos e achei interessante o fato de vermos a história contada de outro ângulo, não aquele felizes para sempre, porque isso não existe...kkk. Deviam lançar mesmo um livro com todas essas versões dos contos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho uma versão da Disney que tem um monte de contos de fadas em um só. É ilustrado e lindo!
      Depois que fazer a pesquisa para este post, fiquei desejando uma edição como a que eu tenho dos contos da Disney, porém com os contos macabros! Seria lindo, né?
      SHAIhsiuAHs

      Beijocas

      Excluir
  4. Hahaha sou fascinada por este lado negro dos contos de fadas e já tinha dado uma boa olhada na maioria deles.
    Realmente o mestre King deveria criar algo assim, com toques ainda mais sangrentos!
    Adorei a versão da Chapéuzinho..rs e fiquei visualizando tudo na imaginação.
    Os irmãos Grimm sempre nos alertaram, a gente que prefere esconder esse lado sombrio.rs
    Quem sabe um dia não lançam uma espécie de calhamaço com todos estes contos ilustrados?
    E oh, adorei o final criado.rs
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu sonho que um calhamaço com esses contos seja lançado, viu! E se for ilustrado, mais lindo ainda! Já pensou? Rssrrsrs

      Beijocas

      Excluir
  5. Olá !
    Algum tempo atrás tive a curiosidade para ler os contos originais e fiquei surpresa e horrorizada!

    Queria ter um livro com todos os contos originais, já existe ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não existe, Mich!
      Sei que há livros dos Irmãos Grimmm separadamente, mas uma edição com uma coletânea das mais famosas não. Uma pena!
      Vamos mandar email pra alguma editora dando a ideia? Vai que cola? Rsrsrrs

      Zahar, se estiver lendo este post, fica a dica, hein? Hahhaha

      Beijocas

      Excluir
  6. Fabi!!
    Nunca tinha ouvido flar essas cosias kkk
    Tô aqui besta de boca aberta!
    Imagino como seria se as histórias contadas fossem exatamente assim qdo as conheci...
    Adorei!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente toma um susto dos grandes quando lemos pela primeira vez, né? Rsrrsrs

      Beijocas

      Excluir
  7. Bizarro é pouco pra essas histórias originais :D
    Eu já tinha ouvido falar de algumas versões dos Irmãos Grimm mas confesso que prefiro ficar com os contos de fadas fofinhos rsrs ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os contos fofinhos são maravilhosos... mas adoro essa obscuridade dos contos originais também, viu. Fazer o que? Coração trevoso! shIUAhsuiahs

      Beijocas

      Excluir
  8. Oi, Fabíola.

    Nunca tinha ouvido falar, mas na minha opinião, essas versões não infantis, acaba com o encantamento das histórias... Por talvez ter algumas realidades por trás de tudo, do que era cometido no passado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A verdade é que não há encanto nenhum em nenhuma das histórias, né?
      Acho que por isso que a Disney caprichou tanto nas suas adaptações! Hahhaha

      Beijocas

      Excluir
  9. Nada melhor que saber o lado escuro de contos que os marcam a vida como esses! Sempre interessante e curioso a gente saber mais e até ler criações sobre esses contos ( releitura). Confesso que uns 3 deles ainda não havia lido!! Parabéns pelo excelente post! Cheguei a me arrepiar por aqui!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz por ter gostado, Mi! E mais feliz ainda por ter trazido algo novo para você!
      Agora que conhece um pouco mais das trevas por trás das fofurinhas, já pode sair contando pra todo mundo por aí! Rs

      Beijocas

      Excluir
  10. Eu sabia que os contos originais eram bem macabros, nada a ver com os filmes da Disney, porém não conhecia todos! Acho que o mais chocante foi o da Chapeuzinho e o da Cinderela(como que ela casa com seu próprio estuprador??!!).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei horrorizada também, Mai! Coisa de malucooooo!
      Nem sei qual deles é o pior, de verdade.
      Tenso.

      Beijocas

      Excluir
  11. Estas histórias originais são bem macabras, eu não conhecia nem uma das versões originais destas histórias contadas por você, realmente, estes contos infantis, de infantis não tem nada, são bem assustadores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né? Imagina contar isso pra uma criança antes de ela dormir? A coitadinha teria os pesadelos mais horrorosos e suas vidas!!!
      BOm que agora que somos grandinhos, podemos nos esbaldar com os contos originais sem medo! Rs

      Beijocas

      Excluir
  12. Oi Fabi, um dia fui procurar saber sobre os contos reais dos Irmão Grimm incentivada por um professor do ensino médio e quando eu li me assustei pensei meus Deus tudo mentira o que lia me assustei muito hahaha e esse professor disse que queria que a gente entendesse que nem tudo é flores e esses contos mostravam isso. Dos contos os que mais me chocaram foram a da Chapeuzinho e o da Bela Adormecida e eu também acho que esse contos retratam um pouco das coisas horríveis que aconteciam naquela época. Amei o post bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas esses foram os dois contos mais chocantes mesmo, Nanda! De causar pesadelos dos grandes.
      Eu fiquei super chocada quando os li também, pois não imaginava nada do gênero!

      Beijocas

      Excluir
  13. Oi Fabi :)
    Eu já conhecia um pouco desse lado macabro dos contos de fadas, até fizemos uma análise deles em uma das minhas aulas (curso Pedagogia), foi bem legal.
    Me espantei muito com a história original da Chapeuzinho Vermelho, que horror, sem falar na da Bela Adormecida, nossa, já achava ruim os casamentos de princesa, depois de tudo que a Bela passou ainda se casar com o príncipe? Não gostei não!!!
    O POST ficou bem legal, gostei de conhecer os contos originais que ainda não conhecia.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Sinceramente você se assusta ver a diferença das formas verdadeiras para esta da Disney e você vê como realmente muda tudo mas nada que é verdade porque muitas coisas do filme da Disney é impossível que tem acontecido até porque muito dos Contos se passavam na Idade Média Mas sinceramente eu gosto mais de sugestões de tarde do que as fofinhas

    ResponderExcluir
  15. Meu Deeeus. Eu já tinha ouvido falar que os contos originais eram bem mais pesados. Mas nunca procurei conhecer. Nossa, esse da Bela Adormecida é o pior pra mim, que coisa mais doentia! Mas todos os contos são horríveis! Prefiro continuar com as versões da Disney mesmo hahaha

    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Eu amo contos de fadas, e a primeira vez que ouvi essas outras versões dos contos, fiquei completamente chocada. Eu nunca sonharia com isso. A da Chapeuzinho Vermelho e da Bela e a Fera eu ainda não, mas são horríveis também!!

    ResponderExcluir
  17. A maioria eu já conhecia, quando era mais nova li um que achei sem querer na internet e fui atrás dos outros, lembro que na época fiquei impressionada em como esses contos tão sinistros se tornaram historinhas de criança e lindos filmes da Disney. Hoje ainda me pergunto a mesmo coisa rsrs, GRAZADEUS que com o tempo foram mudando tudo pra poder ficar do jeito que conhecemos, imagina só ouvir esse tipo de coisa antes de dormir?? Ia ter mais pesadelos do que eu já tinha sem precisar de motivo rsrsrs.
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Eu conheço os contos dos irmãos grimm, mas nunca procurei em ler a verdadeira história dos contos. Realmente me deixou bastante assustada com o que você contou.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  19. Oi Fabíola! Eu conhecia a maioria por conta de alguns seminários de literatura que participei e é realmente chocante! Lembro especificamente do conto da Chapeuzinho Vermelho, que se tornou uma das histórias que mais detesto desde então, rs. A Disney realmente romantizou tudo, mas acho que é importante vermos como uma outra história simplesmente e não sair privando as crianças das belas histórias que se criaram a partir desses contos tenebrosos (como tanto se discute por aí).
    Ótimo post!!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Olá, tudo bom ?
    Amei o post, eu já tinha lido alguns dos contos originais, achei em um site que tinha todos, mas isso foi a muito tempo, lendo o post irie procurar novamente para ler hahahaha. Não sou fã dessa coisa mais assustadora, porém sou super curiosa e gosto de saber como as coisas eram antes da Disney dar aquela mexida legal.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  21. Estou de boca aberta com tanta atrocidade. Mataram minha linda infância infância. Kkkkkkk
    Preciso ler as histórias originais dos contos de fadas, sempre colocaram na nossa cabeça essas fantasias de felizes para sempre e eu sempre desconfiava. Agora entendo o porquê.

    ResponderExcluir
  22. Fabíola!
    Na verdade os fatos históricos são verídicos, mas quem garante que os contos não foram criados justamente para mascarar toda essa realidade cruel? Há controvérsias...kkkkkkkkk
    Sabia da origem da madrastra da Cinderela, porque como sou madrastra, todo mundo acha que somos más, quando não é verdade. Minhas filhotas me chamam de MÃEDRASTA, o que tira toda maldade perpetada pelo contos.
    Canibalismo, casamentos arranjados, etc... realmente existiam no passado, como várias outras convenções sociais que hoje são abomináveis...
    Os Irmãos Grimm tinham um lado perverso de contar seus contos, talvez pela influência dos fatos reais...
    Prefiro a versão mais doce e romantizada, afinal, se assim não o fosse, não seria conto de fadas, seria conto de monstros, não é mesmo?
    Desejo um final de semana esplendoroso e um mês mais que abençoado!!
    “Acredite em si próprio e chegará um dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você.” (Cynthia Kersey)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo