Menu em imagem

Image Map

08 abril 2018

{Hora da pipoca!} ~ A forma da água ~

Ei,  seus lindos!
Tudo bem por aí?

Então. Dia desses (uns dois dias depois da premiação do Oscar, eu acho) eu assisti A forma da água, o longa que levou a estatueta careca e pelada de melhor filme. Eu não tenho o hábito de ir assistindo tudo quanto é filme indicado ao prêmio, mas as indicações desse ano me interessaram, por isso, nesses próximos dias, vamos falar um pouquinho sobre o assunto. Hoje é dia de falarmos do campeão.



Quando assisti? Março, eu acho...
Título original: The shape of water
Título tupiniquim: A forma da água
Distribuidor: Fox Film do Brasil
Data de lançamento: 1 de fevereiro de 2018
Direção: Guilhermo Del Toro
Gênero: Fantasia, Drama, Romance
Não recomendado para menores de 16 anos.
Sinopse: Década de 60. Em meio aos grandes conflitos e transformações sociais dos Estados Unidos da Guerra Fria, a muda Elisa, zeladora de um laboratório experimental secreto do governo, se afeiçoa  a uma criatura fantástica mantida presa e maltratada no local. Para executar um arriscado e apaixonado plano de resgate, ela recorre ao melhor amigo Giles e à colega de trabalho Zelda.

Provavelmente todos já ouviram falar alguma coisinha sobre a obra, pois além de ter saído filme, foi escrito um livro, de mesmo nome, enquanto o longa era gravado. Isso aí! O filme não foi baseado no livro, nem vice-versa. Eles foram feitos simultaneamente, o que é lindo. Eu ainda não li o livro, mas já andei lendo muitas resenhas sobre, e a maioria que faz as comparações entre ambos, acaba preferindo o livro. Que coisa, não?


A sinopse já diz bastante sobre a obra: Elisa, uma muda que trabalha num laboratório secreto (que, para mim, de secreto num tem nada), acaba se apaixonando por uma criatura que tem sido mantida ali para estudos. Como a tal criatura tem sido maltratada por um fulano aí, Elisa decide que irá tirá-la de lá e devolve-la a natureza, e para tanto, conta com a ajuda de seu amigo Giles, um senhor simpático e fofinho; e também de Zelda, uma colega de trabalho e amiga de longa data, que tem um temperamento um tanto efusivo, é bem faladeira, mas boa gente e uma simpatia.


Essa tal criatura não pode ser bem definida, acho. Segundo os pesquisadores ali envolvidos, ela (ou ele, já que, né...? Rs) foi encontrada na Amazônia, e o que os estudos não revelam - o que revela é o contato da mesma com Elisa - é que ela é sensível à comunicação, música, sentimentos e demais particularidades do ambiente em que se encontra. Os nativos do local de onde ele foi retirado o têm como um deus, como um guardião. E no decorrer da trama, entendemos os seus motivos para tanto. Vemos que, deveras, ele pode ser sim considerado um deus, um protetor.


Normalmente, nesse tipo de trama, as mocinhas são inocentes, se entregam ao primeiro amor por serem puras e pudicas, mas esse não é o caso de Elisa. Os roteiristas fizeram questão de deixar claro que Elisa não é pudica, pelo contrário. As cenas iniciais do filme já deixam claro que, apesar de suas limitações, ela não é uma mulher de todo indefesa, pura e inocente. Eles querem, na verdade, que tudo isso fique bem nítido, tanto que já nas primeiras cenas, eles mostram que se masturbar é algo que faz parte da rotina diária da moça, coisa que uma moça pura e inocente dificilmente faria. Para mim, eles se esforçaram para mostrar que Elisa é uma moça como outra qualquer. Ela tem suas limitações, mas ainda assim consegue se comunicar, é trabalhadora, esforçada, tem seus desejos e anseios e é cheia de sonhos como qualquer outra pessoa. Gostei disso, de verdade.

A criatura é um tanto irritadiça, reage a todos os estímulos do ambiente, tanto os bons quanto os ruins; tem um modo limitado de comunicação, mas ainda assim, consegue se relacionar com Elisa a partir do momento que ela se dispõe a lhe ensinar e mostrar coisas como ovos cozidos e música. A moça sente que a criatura a entende melhor do que qualquer pessoa, ela se sente completa ao seu lado, por isso, acaba se apaixonando.

As atuações, para mim, uma leiga no assunto, foram bem executadas. Sally Hawkins, atriz que deu vida à Elisa, deu expressões faciais cativantes e fofas à personagem, deu muita emoção a tudo o que ela tentava nos passar, e eu achei isso enriquecedor por demais. A carinha de sonhadora dá até paz de olhar...


Outro cara que merece destaque é Michael Shannon, ator que interpretou o nojento Richard Strickland - o "vilão" da trama. Gente, o olhar desse homem dava medo, e ele teve a capacidade de fazer com que o ranço se instalasse em meu coração logo que ele apareceu, e olha que eu costumo ter muita simpatia por vilões, hein... mas esse, minha gente... meu deixou do jeito que o diabo gosta!


O longa não nos proporciona grandes surpresas, pelo menos o roteiro em si não me surpreendeu. Ele me fez lembrar de um filme antiiiigo chamado Splash - Uma sereia em minha vida, estrelado por Tom Hanks. Não sei se vocês se lembram... ele conta a história de um cara que encontra uma sereia, se apaixona por ela, a leva para casa e depois bola um plano para devolve-la ao mar. Ao fazer isso, ele acaba indo para as profundezas com ela, e creio eu, vivem felizes para sempre. A forma da água tem a mesma premissa, e para mim foi inevitável não ficar fazendo comparações.

Para quem não se lembra, esse é o Splash - Uma sereia em minha vida:


Um clássico da Sessão da Tarde, não é mesmo? Rs
Então, voltando a falar de A forma da água. Apesar de ter ficado chateada com toda essa semelhança, eu gostei de muitas e muitas coisas, mas nada da história em si. Eu gostei dos detalhes, dos por menores. Fiz um resuminho rápido, ó:
  • A paleta de cores do filme é bem bacana. Eles abusam dos tons esverdeados e azuis, fazendo referência à água e à criatura, e eu achei isso visualmente bonito e nitidamente inteligente e caprichoso.
  • Ainda sobre cores: um detalhe me chamou a atenção, detalhe este que também foi formidável: Elisa, quando está nitidamente apaixonada, deixa de usar uma faixa verde nos cabelos e passa a usar uma faixa vermelha. Achei essa leve referência genial.
  • A todo momento a água é mencionada, mesmo que indiretamente. Em quase todas as cenas há água, nem que seja um personagem bebendo água, ou um dia chuvoso... a água está sempre presente. 
  • A trilha sonora está muito boa, e parte dela foi pensada na criatura, fazendo alusão às suas origens - Carmem Miranda, por exemplo. Uma "brasileira", representando a Amazônia, local onde a criatura foi encontrada (assumindo que a mesma foi encontrada na parte brasileira da Amazônia, né...).
  • O vilão é vilão mesmo! Daqueles que te deixa com ranço logo na primeira vez que ele aparece. Só de lembrar, alguns palavrões me vêm à mente... 
Em suma, A forma da água é um bom filme. Bom. Apenas. Não acho que ele tenha sido bom o bastante para ter merecido o Oscar de melhor filme, sinceramente. E também não entendi o por que de tanto alvoroço em torno do mesmo. Ele é bem ok, mais nada, sabe? Alguns que estavam no páreo e muitos outros que nem sequer chegaram a ser indicados eram mais merecedores do que este, mas se tem algo que eu nunca vou entender - nem tentar! - é a lógica e os critérios que esse povo usa para escolher os melhores do cinema mundial.



Quase caí da cadeira nessa parte! Kkkkkkkkk

Mas vale a pena assistir, Fabi? Sim, claro!
O filme tem duas horas de duração, mas não senti que foram duas horas de vida desperdiçadas, não. Esses detalhes que eu mencionei me deixaram vidrada, a trama me deixou envolvida, mas não fiquei com aquela sensação boa que normalmente rola depois de um filmão, sabe?

Minha reação foi meio que...


Uai? 😞😐
Como assim?




E você, já assistiu? Gostou?
Conta aí!

Um abraço bem quentinho e beijos doces!


17 comentários:

  1. Oi, Fabíola.

    Estou encantada pela história, sem nem assistir a adaptação ou ler o livro.

    É um amor inexplicável e diferente, e eu diria até que é incompreensível!

    Eu estava justamente com dúvida em relação a "criatura".

    Se tivesse mais interação dela, passaria para o público algo bem dinâmico, e teríamos afeição e apego pelo mesmo!

    P.S.: Aproveitei e peguei a dica do outro filme, "Splash - Uma Sereia em Minha Vida". 😁

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também acho que a interação com a criatura poderia ter sido mais explorada, Dai!
      Acho que teria aumentado a empatia e também dado ainda mais riqueza à trama. Mas, sem dúvidas, é um bom filme!

      Beijocas

      Excluir
  2. Ah....sabe, quando vi este filme pela primeira vez, eu também acabei até comentando com uma amiga que ele não merecia ganhar nenhuma estatueta não. Mas depois, acabei dando outra chance e revi o filme novamente, com outro olhar, mais maduro, eu acho e achei que foram poucas as estatuetas que o longa ganhou.
    Na minha humilde opinião, é um filme majestoso, um casamento perfeito de cores, tons, amor, amizade, cumplicidade.
    Ver Octávia também foi outro deleite, já que amo o trabalho da moça! E realmente a cena do "dedinho" é pra gente rolar de rir.rs
    Eu sinto que ainda verei este filme novamente(sou a louca das repetições)..rs
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também sou a louca das repetições, Andreia!
      Eu acho que farei o mesmo que. Vou assistir de novo com outros olhos. Quero ver essa beleza toda, pois não é possível que eu seja tão diferentona assiM! HsiuHAsuiHAs

      Beijocas

      Excluir
  3. Olá Fabíola,
    Um dos motivos para eu assistir esse filme foi por causa de todos os comentários positivos que as pessoas fizeram sobre ele, fora a estória que me deixou curiosa.
    Acho que por causa de todas as expectativas que eu coloquei no filme, depois que assisti não achei que era tudo isso. Eu até que gostei do filme, mas eu esperava mais por causa de todo o falatório.
    Mesmo tendo gostado não sei se assistiria outra vez.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Passei pelo mesmo que vc, Cami!
      Fiquei com as expectativas lá no alto, não só por causa do falatório, mas também por ser to Del Toro. Adoro esse cara!
      Mas acho que eu vou reassistir. Vai que eu me surpreendo? Rs

      beijocas

      Excluir
  4. Oi Fabi!
    Ainda não vi o filme e nem li o livro.
    Confesso que estava com mtaaaaaaaaaaaa mas mtaaaaaaaaaa expectativa pra ver o filme mas andei desanimando, acho que não é lá tanto o que esperava, mas um dia vou dar uma chance e criar vergonha pra ver o filme.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai sem expectativas, Line!
      Acho que vai ser mais proveitoso!
      Acredito que o meu problema tenha sido exatamente as expectativas acumuladas...

      Beijocas

      Excluir
  5. Esse filme está sendo bastante comentado, ainda mais depois de ganhar o Oscar. Ainda não assisti, mas estou bem curiosa, já vi outros filmes do
    diretor Guilhermo Del Toro e gostei bastante. A forma da água traz dois personagens bem distintos (um humano e outro não), um amor improvável, mas que do jeito deles, pode dar certo!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que exatamente por ser do Del Toro, um cara que eu adoro, fiquei com expectativas demais, Kah!
      Deixe as expectativas de lado e assista de coração aberto.
      Eu o farei novamente, dessa vez, com o coração bem atento, rs!

      Beijocas

      Excluir
  6. Oi Fabi.
    Acredito que o que levou o filme ao Oscar foi um conjunto de coisas, eu assisti o filme que citou "Uma sereia em minha vida", mas ainda assim achei A forma d agua com um enredo bem original, a escolha de atores foi muito boa, e sem dúvidas a paleta de cores ficou divina, um detalhe que achei lindo foi como um certo tom de verde preenche algumas cenas, nos levando a pensar no tanque da criatura. É como você disse, não foram duas horas desperdiçadas, pelo contrário, gostei bastante e indico o filme, apesar de diferente..
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o problema foi eu ter depositado expectativas demais, como sempre. Ai, essa danada ainda mela com minha vida, HsiuahushAs.
      É um filme lindo, sem dúvidas, mas ainda o acho parecido demais com Splash... quem sabe um dia desses eu consiga tirar essa imagem da cabeça? Rs

      Beijocas

      Excluir
  7. Olá! Ainda não tive a oportunidade de conferir esse filme, mas leio muitas coisas positivas em relação a ele, no entanto uma quase unanime, é de que o Oscar não foi tão merecido assim, eu só vou poder concordar, ou não, quando assistir, espero que não demore muito. É bem diferente de tudo que eu ando vendo, espero não me decepcionar.

    ResponderExcluir
  8. Eu já sou daqueles que quer assistir tudo o que foi indicado e apostar minhas fichas antes da grande cerimônia. Claro que nem sempre consigo ver tudo, então vou antes nos principais. Concordo com suas opiniões em relação ao filme e já tinha ouvido que o livro e o roteiro tinham sido feitos em paralelo. Também não acho que o filme seja ruim, mas também não me surpreendeu diante de tanto alvoroço da mídia. Não tinha pensado nessa comparação com Splash, mas é uma verdade as semelhanças. Também não havia reparado nesse lance da faixa no cabelo. Quanto às interpretações também fiquei apaixonado.

    ResponderExcluir
  9. Olá! Também não achei o filme isso tudo pra ganhar tanto prêmio. É bom, a história é bonita, mas já diferente de você achei super arrastado e chatíssimo em certas partes. A fotografia me incomodou, apesar de ser bonita, porque é super escura e "suja". Toda a água parece imunda, e, apesar de ter todo o contexto eu não gosto dessa estética. E a Sally Hawkins realmente deu um show de interpretação.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Ainda não assisti ao filme, so tenho acompanhado as resenhas. Acho interessante, não é o estilo que curto, porém não custa nada assisti.

    ResponderExcluir
  11. Gostei da sua resenha, eu tô curiosa pelo filme e pelo livro.
    Confesso que a sinopse não me chamou muito a atenção, mas depois daquele alvoroço todo na ópera e com o livro, tô bastante ansiosa pra conhecer essa história!
    Acho que vou ver o filme primeiro, e depois se gostar, leio o livro.
    Achei fofa essa relação da Elisa com a criatura, ela parece ser bem fofa e generosa, e tô mais curiosa pra saber sobre como essa criatura reage e o final que eles terão.
    bjss

    ResponderExcluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo