Menu em imagem

Image Map

27 fevereiro 2018

{Papo Femininja} ~ Separação ~

É  complicado falar pelos outros, mas a maioria das pessoas do mundo inteiro, quando começam a se relacionar com alguém, não tem a intenção de se separar.

Eu sempre quis me casar e ter filhos. Meu sonho de princesa era o de ter uma carreira profissional maravilhosa, mas ao chegar em casa, ter minha família (aquela definição de família da qual nós mesmas formamos) me esperando cheia de amor pra dar e receber.

Foi então que encontrei uma pessoa, em meados de 2008, que em minha opinião, na época, cumpriria bem esse papel.

Engraçado, cheio de vida, tão oposto a mim. Sempre fui na minha, acanhada, não gostava de ter muita gente em volta. E ele o contrário. O melhor de tudo: não me cobrava nada. Não colocava limites em absolutamente nada da minha vida. Amigos, livros, profissão... seria o par ideal.

Seria mesmo? As diferenças entre casais nos livros e nos filmes ao final formam uma sintonia maravilhosa. Mas eu não podia imaginar que na vida real poderia formar uma sintonia desastrosa.


Não sei dizer quando acabou. Na verdade, nunca fui completamente apaixonada. Sempre quis algo mais razão e menos emoção, então claro que já começou errado.

Não hesitei em morar junto. Em noivar. Em ir embora para uma cidade desconhecida para tentar uma nova vida.

As diferenças que antes me encantavam, com o tempo passaram a me aborrecer. Bebidas, festas, núcleo familiar com criação completamente oposta da minha.

Com três anos de relacionamento, nossa vida já não era feliz. Acontece que, quando estamos em um relacionamento, a gente não enxerga isso. Talvez o medo de ficar sozinha, talvez aquela pressa em ter seu sonho "família" tornado real.

E claro que como em todos os relacionamentos, até os de sucesso, as dificuldades vieram. Finanças, intrigas... e talvez o maior problema: endometriose.

Fui diagnosticada antes do relacionamento, mas a doença chegou ao ápice durante ele. Descobri que não podia engravidar. Foi o pior momento da minha vida. Precisei ficar forte, juntar os pedaços para não demonstrar a todo mundo minha decepção e fraqueza perante o que não podia ser mudado. E quem mais deveria entender minha dor, se manteve alheio. 

Lembro muito vivamente do dia em que um dos médicos que passei (foram muitos) me contou a realidade. Morava em Goiás. Chegamos em casa, eu derrotada, tentando engolir as lágrimas. Claro que ele sabia o quanto era importante pra mim ser mãe. Aliás, era a única pessoa que sabia disso. Então ele pegou uma porção de salame, sentou em frente à TV; foi assistir ao futebol. E eu, precisando desabafar, tentei me aproximar, puxar conversa. Acabei chorando, contando o quanto estava triste. Os olhos dele não saíram da TV e da porção de salame. 

Nesse dia, poderia ter percebido que ele não gostava mais de mim. Mas a mente da pessoa que não quer se separar gritou: ele não sabe lidar com isso. Você é a pessoa forte daqui. 

Então no outro dia, todo carinhoso, ele disse que iríamos adotar. A felicidade da pessoa aqui foi imensa. Acho que passei até a amá-lo. Mera ilusão. Para adotar, na época, era necessário nos casarmos de papel passado. O processo exigia uma união concretizada. 

Adivinhem quem não quis se casar? (hoje eu agradeço muito por isso).

E assim, anos mais tarde, percebi que na verdade ele não queria uma família. 


É importante sabermos o que as duas pessoas querem de uma relação. O primeiro passo pra tudo dar certo está ai. Se você quer família e a pessoa que está se relacionando contigo quer morar junto para rachar o aluguel, a separação vai acontecer.

Um relacionamento é complexo. Exige dedicação; exige empenho para conhecer um ao outro. Aquele sentimento de novidade, com a rotina, acaba. Eu diria que um relacionamento, para não acabar, precisa de compatibilidade de valores. Uma amiga frisa sempre: os opostos se atraem, mas só os iguais permanecem juntos.

Essa frase tem total sentido. Eu me sentia atraída pela leveza em que o ex levava a vida. Mas acontece que não consigo ser assim, pra mim trabalho é trabalho, responsabilidade é responsabilidade. Não existe meio termo. Me atrai, mas não éramos iguais.

Sem contar que, a garota que era considerada tímida no início da relação, passou a ser chamada de chata. O hábito de leitura que era tão aclamado, passou a ser visto como "coisa de quem não tem o que fazer". 

Quando estamos num relacionamento ruim, onde não existe amor, onde o respeito começa a ser perdido; nos transformamos. Viramos um reflexo do que temos em casa. Vivia mal humorada, não tinha paciência com ninguém. 

Achava que era culpa do mundo eu estar passando por tudo isso. E descontava em tudo. Chegou um momento que a situação piorou. A única saída era a separação.

Chegar a essa decisão é um processo complicado. Aliás, para se chegar a essa decisão exige-se um processo.

É preciso refletir. Colocar os prós e contras em evidência. Até mesmo nesse momento, é necessário pensar em todos a sua volta. Sua família, seus amigos, e até mesmo no futuro "ex".

Amor?

Esse lance de amor é complicado. É uma das únicas coisas que os contos de fadas trazem de real. Com esse relacionamento, aprendi que para começar um você precisa estar apaixonado. É o primeiro passo. Agora, para sair de um, você precisa ter certeza que não está apaixonado. E tem outro ponto muito importante: será que a pessoa que está contigo, ama você? 

Existem sinais que insistimos em ignorar. Falta de sintonia, respeito, o outro já não ocupa uma posição valiosa em sua vida e/ou vice-versa.

Você já não quer estar nos mesmos lugares que ele; é uma dor voltar para casa; contato físico são raros (muitas vezes somente em público ou no círculo familiar).

Aquilo que ele ama fazer já não te interessa. Ele não respeita suas vontades. 

Tudo isso são sinais leves de que alguma coisa se perdeu. Dá pra consertar? Acho que sim, se existir sentimento, sim. Agora se um dos dois não amar mais, infelizmente, não dá pra consertar. As coisas podem até melhorar, mas logo logo voltam a desabar.

Eu tive muitas demonstrações de falta de amor por parte do ex. Ele não se preocupava com a minha saúde, mentia, bebia demasiadamente quando saíamos, sem se preocupar que teria de dirigir para voltar para casa. 

E ele também teve várias demonstrações da minha falta de amor: eu não conseguia dormir ao seu lado, qualquer outra coisa era mais interessante que as suas conversas, não fazia questão dele sair sozinho.

É muito difícil falar de uma forma ampla sobre isso. Mas sinceramente, se está lendo tudo isso e percebeu que na verdade foi você que deixou de ser amada, se pergunte: vale a pena estar num relacionamento assim? É isso que você quer? Até que ponto você ama mais o outro que a si mesmo?

Por muitas vezes a melhor prova de amor que você pode dar a uma pessoa é deixá-la ir.


É mais fácil quando o papel se inverte. Quando é você que deixa de amar. E mesmo sendo mais fácil deixar ir, ainda tem várias outras questões.

Pensamos no que uma separação vai refletir em nossa vida. Será que realmente não amamos? Como vai ser quando eu ver essa pessoa que ficou anos ao meu lado com outra? Vou sentir ciúmes se ele tiver filhos com ela? 

Eu me perguntei isso por meses. E quando tive certeza que a resposta seria não para todas essas perguntas, foi que decidi que era hora de sair desse relacionamento que não trazia absolutamente nada de bom para nenhum dos dois.

Separação é fácil?

Não, no, not, nem, naum, n. Sinto medo das pessoas que dizem que é fácil. Não é, nenhum pouco, é um processo complicado pra caramba. 

Você tem uma vida, uma rotina, e de repente tudo muda. Por mais que seja uma decisão vinda de você, não é fácil. E olha que não vou entrar em outros assuntos como filhos, divisão de bens materiais, e etc. 

Cada pessoa enxerga de uma forma. Existe o luto da separação, você pensa que nunca vai conseguir superar. Eu cheguei a dizer que nunca mais queria outra pessoa na minha vida. 


É como o início de uma relação. Sei que é uma comparação infeliz. Mas no início, não temos aquele medo da rejeição, de conhecer a família, os amigos? Não dá aquele frio na barriga de contar pra todo mundo que estamos com alguém? Então, a separação tem haver com isso. O medo da rejeição é substituído pelo medo da saudade. Temos medo da reação da família e dos amigos do outro. Dá um frio na barriga somado com um nó na garganta quando contamos para todo mundo que não estamos mais com alguém.

No meu caso, não foi amigável. Não ficou nada, nem mesmo amizade com a família dele. Porém, varia muito esse caso. Nem toda separação termina como a minha.

Demora para superar? 

Está ai outro ponto que varia. No meu caso, eu senti falta da rotina por dois dias. Depois disso, já estava bem. Sair, conhecer outras pessoas, isso também vai variar de pessoa a pessoa. Cada um leva seu tempo e ponto final. 

Minha avó demorou mais tempo para superar que eu rs.

Novos relacionamentos

Faz um ano e três meses que me separei e ainda não tive nenhum relacionamento sério. Estou mais madura, me descobrindo, compreendendo exatamente o que quero ou não de uma pessoa. Porém, mais uma vez, ressalto que isso também varia de pessoa para pessoa. 

Tenho amigas que começaram novos relacionamentos um mês após a separação e estão muito bem obrigada.

Você precisa saber...

Que não faz mal deixar um relacionamento que não te fez bem e que não dá pra ser consertado. Você precisa saber que não é vergonhoso sentir a dor da separação, e não se martirize caso essa dor não venha. As vezes estamos numa relação tão ruim, que ao nos separarmos não conseguimos sentir nada a não ser felicidade pelo fim.

Você precisa saber que as vezes o seu parceiro era uma péssima pessoa na sua vida, mas pode ser que ele tenha sido maravilhoso para sua família e amigos. Por mais que seja revoltante, tente entender.

Se tem filhos, também precisa saber que o seu relacionamento não tem nada haver com eles. O cara vai continuar sendo pai, e é importante priorizar os filhos nesse momento, mantendo o respeito e a boa convivência.

Imagem relacionada

Não tenha recaídas. Se realmente quer se separar, coloque na sua cabeça que será a decisão final. 

Sempre analise os reais motivos que estão te levando a tomar essa decisão. É algo muito sério, e não tome essa decisão movida pela raiva.

Se está em um relacionamento abusivo, onde existe agressão física e/ou psicológica, procure ajuda caso se sinta ameaçada. Existe um aplicativo onde você poderá conversar com outras mulheres que passam pela mesma situação. Lá é possível ajudar e ser ajudada. Clique.

E caso queira conversar comigo em particular, trocar ideias, conselhos... manda um e-mail. Vou adorar sua mensagem: bianca.bigoncalves@gmail.com

A separação me fez muito bem. Não estou dizendo que todo mundo precisa se separar. Ainda tenho o sonho da família sabe? Quando olho para trás, vejo o quanto estou feliz comigo mesma, e compreendo hoje o motivo de ter passado por tudo isso. Valeu a experiência. 


É isso! O post ficou pessoal, mas espero que gostem. E esse assunto não se encerra por aqui. Trarei outro post onde irei identificar as dificuldades da separação e mais um, onde aponto os estágios da mesma.

O post sobre viajar sozinha vai sair!!! É a Fabi quem vai tomar as rédeas (a mulher conheceu uma porrada de lugares legais).

Beijos!

22 comentários:

  1. Acredito que poucas vezes nessa minha vida de blog, comentar, escrever, vi um post com tanto sentimento. Falar da gente mesmo nunca é fácil, ainda mais quando se envolve tanto sentimento. Seja de amor, dor, perda e reconhecimento.
    Sou casada se minha memória não falhar, vai fazer 25 anos em Junho. Já me separei, voltei, penso em me separar de novo.rs uma bagunça só. Mas entendo por tudo que você passou e ainda passa, pois afinal, sentimentos existem e estão aí.
    A gente precisa olhar para nós mesmas, tentar entender um pouco nossas frustrações, medos, inseguranças e entender também que hoje em dia, ninguém precisa de homem para ser feliz não.
    Há inúmeras possibilidades.rs Mas se não houver jeito, bora recomeçar e recomeçar o tempo todo.
    Tudo sempre nos deixa um aprendizado.
    Beijo e parabéns pelo post incrível

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amore! Obrigada. Realmente falei de dentro entende?
      Eu acredito em mudanças. Olha só o seu caso, separou, voltou e agora está bem não é mesmo? Mas infelizmente, no meu caso, não tem volta. Foi um ciclo que se encerrou. E agora é recomeçar quantas vezes for preciso.
      Obrigada ♥

      Excluir
  2. Olá!
    Eu amei seu post, foi um papo mas íntimo entre você e os leitores. Realmente a separação não é tão boa assim, nunca será tão fácil superar. Eu, terminei um relacionamento recentemente e foi um pouco difícil superar mas com os dias passando percebi que estava em um relacionamento muito complicado e que agora estou feliz comigo mesma e que não há nada melhor amar a si própria. Obrigada por essas lindas palavras.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lily!
      Então você entendeu bem o que quis dizer no post. É sozinha que analisamos por fim se o relacionamento vale ou não a pena. E é uma vitória quando percebemos que estamos bem e felizes sozinhas.
      Eu que agradeço por sua participação tão linda aqui.
      Beijos

      Excluir
  3. Antes de tudo, sinto muito por saber este detalhe da endometriose. Obrigado por compartilhar esta parte tão intima sua, mas creio que todas as tuas palavras foram muito profundas e sinceras, que podemos sentir teu sentimento daqui. Namoro a 9 anos e ano que vem vamos nos casar, e creio que todo este tempo foi fundamental para a gente se conhecer bem e ter certeza daquilo que queremos. Pois unir duas vidas não é fácil, e sei que temos que aprender a superar as dificuldades juntos, porque sei que para nos o mais importante é a parceria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada amore. Vocês estão no caminho certo, acho lindo esse tipo de partilha, de planos... Desejo toda sorte e amor do mundo pra vocês.
      Beeijos!!

      Excluir
  4. Ual Bia!
    Estou sem palavras...
    Mas primeiramente parabéns por nos contar sobre sua superação, por ser forte qdo mais precisou de alguém, no caso ele que não estava de fato...
    Tbm fui diagnosticada com endrometriose e meu marido sempre esteve ao meu lado, acho que qdo se sonha junto TD se torna mais fácil de se lidar, e como nosso sonho é formar uma família estamos correndo atrás e mto felizes por um apoiar o outro...
    Bjs e parabéns mais uma vez!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline!
      Sinto muito pela endometriose, tenho fé que você vai conseguir. Ahh quando engravidar por favor, venha correndo me contar. Vou incluir vocês em minhas orações. Mande um recado para o seu marido por favor: cara é isso ai! Ficar ao lado dela nesse momento é a maior prova de amor do mundo. Por mais homens como você!
      Enfim Aline, obrigada por compartilhar um pedacinho da sua história (farei um post sobre endometriose em breve); e ter esse lado positivo nos dá esperanças. É bom saber que existem príncipes por ai, é só ter paciência que logo aparece hahaha.
      Beeijos lindona.

      Excluir
  5. Oi Bianca!
    Acredito que toda regra exceção, muito provavelmente o motivo do término do seu relacionamento não foi pelas diferenças entre vocês (de personalidade, eu quero dizer) e sim falta de amor mesmo.
    Eu já estive em um relacionamento em que o meu namorado era exatamente igual a mim em relação a ser extrovertido, gostar de sair, beber com os amigos e não ter dado certo, justamente por falta de amor..
    Hoje namoro há 3 anos com um cara que é totalmente o meu oposto, odeia sair, não é social, é introvertido, maaaas... nosso relacionamento é o mesmo do começo do namoro, não mudou, continuamos felizes e juntos, claro que acabamos fazendo alguma concessões, eu fico no fim de semana em casa com ele e em outro ele sai comigo; quando a gente gosta mesmo não tem tempo ruim ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cat! Eu citei "diferenças de personalidade", mas na verdade deveria ter citado "diferença de valores". Era isso que queria me referir. No caso de vocês há o respeito mútuo, isso mostra que ambos tem o "valor do respeito" com as diferenças do próximo. No meu caso, não existia isso das duas partes.
      E você citou algo incrível: qdo a gente gosta não tem tempo ruim. É isso mesmo!
      Parabéns pelo relacionamento, desejo que venham mais muitos anos ai, e que vocês se completem sempre.
      Beijos

      Excluir
  6. Adoro os posts do papo femininja, pois são situações que acontecem com todas nós. Separação é sempre difícil e superar pode ser ainda mais complicado, isso vareia de pessoa para pessoa. Eu só tive que lidar com separação uma vez e lembro que fiquei bem chateada, mas hoje agradeço por isso ter acontecido, porque encontrei uma pessoa que me completa e me faz feliz, vejo que tinha que passar por certas situações para amadurecer!! Tenho muito em comum com meu marido e espero que juntos possamos fazer muitas coisas bacanas!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karina!
      Como é bom ler sua história, inspiradora viu? E dá uma força pra gente, que você nem imagina.
      Acredito que nada acontece por acaso, e hoje mesmo sozinha, enxergo que a separação só me acrescentou.
      Beeijos

      Excluir
  7. Oi Bia, tudo bem?
    Eu amei esse post, vou te mandar mensagem em privado falando mais, mas me ajudou a ver algumas coisas de outra forma. Obrigada mesmo por compartilhar sua experiência <3
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline! Eu amei o seu contato, e só friso que estou aqui para o que precisar.
      Beeijos

      Excluir
  8. Bianca, que textão maravilhoso, inspirador e franco. Alguns pontos que você citou são importantíssimos, como não tomar decisões finais com raiva, saber separar as coisas, especialmente quando tem família envolvida, ainda mais se forem filhos os envolvidos, se permitir sentir toda a dor que vier ou não sentir nada. Não se cobrar. Não se martirizar. Tudo isso tem muito a ver com amor próprio, que fica tão esmagado em situações de separação, mas é o momento em que mais precisamos dele.
    Nunca passei por um situação tão extrema. Já tive uma separação, mas não era tão séria quanto no seu caso. Porém, sou cria de uma separação muito dolorosa e vi a dor dos meus pais em todo o processo. Isso aconteceu em outra vida, mas fica marcado pra sempre, tanto no ex-casal quanto nas famílias. É difícil. Mas há vida pós-separação, e essa foi talvez a mensagem mais importante que você passou!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amanda!
      Obrigada viu? Eu amei seu comentário. Deveria ter citado no texto que também sou cria de uma separação rs. Ahh mas foi um processo complicado e traumatizante, acho que é tema pra outro post.
      Beeijos

      Excluir
  9. Oi Bianca.
    Obrigada pelo post, você me ajudou muito a refletir sobre relacionamentos e os medos que tenho.
    Sinto muito pelo o que você passou, mas por tudo que você contou da sua experiência, realmente você merece coisa melhor, mulher! kkkk Tô torcendo pro seu príncipe aparecer, porque você merece! Principalmente, por ter sido fiel a você, a sua dignidade, felicidade e amor próprio.
    É muito difícil se separar, porém, acredito que em alguns casos é a melhor solução, e até mesmo, traz felicidade.
    Pessoas de personalidades diferentes é supercomplicado mesmo, a minha mãe sempre diz que o importante é o amor e os princípios serem alinhados, e eu concordo, pois se já é difícil lidar com amigos que pensam tão diferentes, imagine com o namo/a. kkkk eu que o diga.
    Obrigada pela postagem, você nos deu mais coragem e foi muito ajudadora e esclarecedora.
    bjão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana sua linda!!! Gente, vocês me enchem de amor, é verdade!
      Obrigada, continue torcendo por esse príncipe porque está difícil viu?

      Beeijos

      Excluir
  10. Oi Bia!
    Não conhecia a sua história, e mesmo sabendo que hoje foi o melhor para você, imagino o que passou na época, já que também fiz vários planos, e pior, que duraram cinco anos e nada deu certo (algo que também agradeço mto hoje), acho que você me entende, eu queria tudo, ele nada. Hoje vivo um relacionamento feliz, apesar dos desejos de casar e ser mãe ainda serem fortes em mim, estou calma, cursando a faculdade que queria, priorizando coisas que ainda não faria... Não é nada fácil o término, como você sofri mais pelo costume do que por ter sentimentos. Enfim, o jeito é tentar tocar em frente, hoje aprendi que por pior que seja a vida não para!
    Beijos ❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitória! Sim, eu te entendo perfeitamente. E entendo ainda você agradecer por tudo que planejou não ter dado certo. Hoje eu também sou grata. Inclusive, agradeço a ele também.
      Que lindo saber que hoje você encontrou uma pessoa especial. A gente tem essa coisa de querer tudo rápido, para agora. Mas faça como já está fazendo: vai com calma, priorize o que você precisa mais urgente, termine a facul primeiro. E a família vai vim. Sinto que logo...

      Beijos amore, obrigada por seu carinho. Tudo de bom pra você e continue forte! Coisas boas continuarão a virem.

      Excluir
  11. Boa noite! Nossa por vários momentos no decorrer da leitura achei que estivesse narrando a minha história... sendo que o único diferencial foi q eu tive um filho... realmente não é fácil... minha história até que daria um livro... mas enfim assim é a vida... me separei esse início de ano no papel mas já estava a quase 2 anos enfrentando uma separação de corpos... sofri muito sim... tinha alcoolismo e além de ser um relacionamento em partes abusivo... tbm disse que nunca mais queria ninguém... (mas anjos aparecem quando menos se espera Rs...). Hoje vejo que a felicidade tem data e hora para acontecer. 😉

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sabrina, boa noite! Caramba, quantos pontos em comum. Também enfrentei uma separação de corpos de mais ou menos dois anos, também tinha bebida alcoólica (não chega ao alcoolismo, mas em minha opinião beirava), e também tinha abusos em muitas partes. Eu fico toda cheia de esperança quando vocês compartilham suas histórias, e fico muito feliz que você tenha encontrado a sua felicidade. Pelo visto, um anjo apareceu na sua vida, sorte a dele... Ainda não consegui me relacionar sério com ninguém, é difícil, tenho meus medos; acabo espantando rsrs. Mas tudo tem seu tempo. Vou me apegar a essa frase linda que colocou aqui "a felicidade tem data e hora para acontecer". Beeijos sua linda, felicidades o tempo todo para você.

      Excluir

Obrigada por sua visita e pelo carinho! <3
Deixe sua opinião sobre o post e também um pouquinho de amor!

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo