Menu em imagem

Image Map

21 maio 2017

{Resenha} ~ A menina que brincava com fogo - Stieg Larsson ~

Hey,  pipows!
Como estão?
Aproveitando a preguicinha do fim de semana? Eu siiimmm!
Curti folga na sexta e no sábado, e hoje, apesar de ser domingão da preguiça, volto ao batente. Mas é a vida, né? Preciso trabalhar pra comprar livros, oras bolas! Rs.

Antes de falarmos sobre o livro que irá abrilhantar o post de hoje, queria dar um recadinho. Eu tentei fazer os pacotinhos de amor (pacotinhos de mimos de vocês) nesse fim de semana, mas confesso, a preguiça não deixou. Nem o frio! Mas amanhã coloco tudo isso em dia, então, preparem os corações. Eu tô que tô atrasada, pra variar, mas essa semana mando tudinho. Ouvi um amém? Kkkkkk

Bem, vamos à resenha. Na semana passada falamos sobre Os homens que não amavam as mulheres, primeiro livro da Trilogia Millenium, escrita pelo autor Stieg Larsson. Hoje é dia de falarmos do segundo livro da série, A menina que brincava com fogo. Mas antes, preciso dizer algo que esqueci de mencionar na última resenha.

A Trilogia Millenium foi adaptada para os cinemas. Os três filmes, na versão sueca (minha preferida), estão disponíveis na Netflix! O primeiro foi adaptado também pelos americanos - e também está disponível na Netflix, acho -, mas devo confessar que eu achei bem ruim. O que salva é a introdução, que ficou muito digna dos livros.

Agora sim, vamos de resenha! Prontos para terem mais um encontro quente com Lisbeth Salander? Espero que sim. E já podem acionar os bombeiros, pois esse livro te deixa literalmente em chamas.



Quando li: Também não me lembro, mas acho que a última vez foi em 2013.
Título: A menina que brincava com fogo - Millenium #2
Autor(a): Stieg Larsson
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 611
Avaliação: 
Onde comprar? Amazon | Americanas | Submarino
Sinopse: Nada é o que parece ser nas histórias de Larsson. A própria Lisbeth parece ser uma garota frágil, mas é uma mulher determinada, ardilosa, perita tanto nas artimanhas da ciberpirataria quanto nas táticas do pugilismo, o que a permite atacar com precisão quando se vê acuada. Mikael Blomkvist pode parecer apenas um jornalista em busca de um furo, mas no fundo é um investigador obstinado a desenterrar os crimes obscuros da sociedade sueca, sejam os cometidos por repórteres sensacionalistas, sejam os cometidos por magistrados corruptos ou ainda aqueles perpetrados por lobos em pele de cordeiro. Um deles, o tutor de Lisbeth, foi morto a tiros. Na mesma noite, contudo, dois cordeiros também foram assassinados: um jornalista e uma criminologista que estavam prestes a denunciar uma rede de tráfico de mulheres. A arma usada nos crimes - uma Colt Magnum - não só foi a mesma como nela foram encontradas as impressões digitais de Salander. Procurada por triplo homicídio, a moça desaparece. Mikael sabe que ela apenas está esperando o momento certo para provar que não é culpada e fazer justiça a seu modo. Mas ele também sabe que precisa encontrá-la o mais rapidamente possível, pois mesmo uma jovem tão talentosa pode deparar-se com inimigos muito  mais formidáveis - e que, se a polícia ou os bandidos acharem primeiro, o resultado pode ser funesto, para ambos os lados.

ESSA RESENHA ESTÁ LIVRE DE SPOILERS DOS LIVROS ANTERIORES. PODE LER SEM MEDO! 😉

Começamos exatamente de onde paramos. E relaxe, essa resenha não contém spoiler do livro anterior.

Retomando.
Ficou meio vago dizer “começamos de onde paramos”, né? Bem, vou explicar. A menina que brincava com fogo começa quase que exatamente do ponto onde Os homens que não amavam as mulheres parou. Não entrarei em detalhes, é claro, mas quis mencionar isso pois quando o livro anterior terminou eu fiquei com a sensação de que haviam arrancado a última página do meu livro, e eu agradeci muito a mim mesma por ter o volume seguinte em mãos, pois, como eu disse no fim da outra resenha, é impossível ler essa trilogia sem ter o livro seguinte.

Apesar de ser uma trilogia, o segundo volume aborda um assunto completamente diferente do primeiro, apesar de mais uma vez termos problemas envolvendo mulheres como foco. A trama gira em torno do tráfico internacional de mulheres, e mais uma vez, somos agraciados com uma estória extremamente real e rica em detalhes. E, para deixar tudo ainda melhor, Larsson faz uma crítica à nossa sociedade (dita) moderna.

Conhecemos o casal Dag e Mia. Dag é um jornalista brilhante, e Mia, uma criminologista que, com a ajuda do esposo, acaba de fazer uma tese perigosa para sua mais nova graduação. Eles fizeram importantes pesquisas sobre o tráfico de mulheres no país e têm dados que podem incriminar pessoas muito importantes, por isso, acabam sendo mortos. E por uma ironia ridícula do destino, Lisbeth Salander é a principal suspeita do crime. Aliás, ela é suspeita não só deste assassinato, mas também do de seu tutor, que foi morto de maneira bastante brutal, assim como Dag e Mia.

"Lisbeth Salander era a mulher que odiava os homens que não gostavam das mulheres." Pág. 560

A sociedade sueca ainda não sabe, mas estes crimes que tanto os chocaram estão interligados. Para eles, a semelhança é simplesmente o fato de que Lisbeth pode tê-los cometido, mas na verdade, o buraco é bem mais embaixo. Como mencionei, Dag e Mia fizeram investigações minuciosas sobre o tráfico de mulheres, e os envolvidos acabaram sabendo que seus nomes constam na lista do casal, e tal fato fez com que criminosos há muito esquecidos viessem à baila novamente. Aliás, OS criminosos não. O criminoso. Alexsander Zalachenko. O Zala.


Esse cara está diretamente ligado ao passado de Lisbeth e ao evento que ela chama de “Todo O Mal”. Por conta disso, conheceremos mais da vida da nossa heroína; aquelas interrogações que ficaram em nossas cabeças finalmente serão respondidas, e acredite: você irá se apaixonar ainda mais por essa maluca. Irá admirá-la ainda mais. E irá querer saber mais e mais sobre coquetéis molotov. #FicaADica

Fabi, esse gif não faz o menor sentido! - Não é pra fazer mesmo. É para deixar vocês curiosos.

E Mikael? Por onde anda o Super-Blomkvist, afinal? Bem, ele está super envolvido nisso tudo também. A próxima edição da Millenium irá denunciar os crimes sexuais da Suécia, e adivinhem, os autores são nada mais, nada menos, que Mia e Dag. Ao ver que sua grande amiga está sendo responsabilizada pelos crimes, Mikael imediatamente dá um jeitinho à lá Lisbeth Salander de entrar em contato com a racker e assim, se pôr à disposição da garota, que, depois de muito relutar, acaba aceitando sua ajuda. 

Ela mexe seus pauzinhos aqui e acolá, reúne tudo quanto é tipo de informação e vai repassando para Blomkvist, tudo isso sem se encontrarem. Uma curiosidade: neste livro eles só se encontram uma vez. E nesse encontro ele tem a oportunidade de retribuir o favor que ela fez a ele um dia: agora é a vez de Mikael salvar a vida de Lisbeth.

Mais uma vez os esquemas políticos são brilhantemente explorados e explicados. Nem mesmo a polícia se safou do olhar e narrativa apurados de Larsson, e mais uma vez, somos arrebatados por essa estória. As 611 páginas do livro não assustam, e o final, minha gente, me deixou com a mesma sensação que fiquei no livro anterior. Mais uma vez eu achei que tinham arrancado páginas do meu livro.

Somos apresentados a outros personagens e eles também logo ganham a nossa simpatia. Os que conhecemos anteriormente também aparecem – e muito – e, ao contrário do que eu imaginei, eles foram super bem inseridos em toda a trama, tendo papéis importantes, mesmo aparecendo esporadicamente. Quando se trata de Larsson, nada é por acaso.

Tendo como gancho essa afirmação, quero alerta-los para algo: caso fiquem entediados com suas extensas descrições – há quem não goste de autores detalhistas -, tenha em mente que até mesmo aquilo que parece irrelevante, no fim das contas, não é. Acontece que o autor não tem pressa de fazer tudo acontecer, e para que os acontecimentos façam sentido, é preciso preparar o terreno, e é o que ele faz, e de forma brilhantemente descritiva. Graças às tais extensas explicações, todo o desenvolvimento do clímax do livro se torna crível e real, fazendo com que você se pergunte se tudo aquilo não é uma matéria de um acontecimento que foi noticiado pelo Bonner no Jornal Nacional (ou seria, pois hoje não tem nada que preste no JN).

Cá temos mais um livro viciante, minha gente! Mais um livro que nos deixa com o coração na mão, que nos faz pensar como os personagens, que nos leva a sentir os mais diversos sentimentos possíveis, que faz com que você deseje desesperadamente ter o volume seguinte em suas mãos. E eu espero que tenha, pois, minha gente, esse final foi lacrador. Foi de arrepiar. É digno de um palavrão daqueles beeeeem cabeludos, eu juro.

E Lisbeth, você arrasa, mulher. #TheBestOfAllTime


20 comentários:

  1. Esse tempinho tá que dá aquela preguiça gostosa mesmo. Passei esses dias todos de baixo dos edredons (sim no plural pq sou frienta rsrsrs) lendo e vendo filmes. Esse tempinho é o que há!
    E não seria vc se não tivesse atrasada né!? Não que isso seja ruim, já disse, faz parte do seu charme rsrsrs ;)
    Olha eu quero cartinha no meu hein! Ai de vc se não me mandar uma mocinha hihihi
    Mas agora vamos falar da resenha? Vamos!!! Gente que estória. Primeiro vc fez uma resenha de um segundo volume sem dar spoiler do primeiro e só daí já arrasou, deve ter sido difícil. A cada resenha só me dá mais vontade de ler esses livros, a Lisbeth me parece ser tão incrível... Amo esse tipo de livro que a estória te envolve, te prende e te faz pensar neles por séculos. Trás logo a resenha do terceiro por favor. Obrigada, de nada ;)
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem que vc me entende! Aliás, fiquei debaixo de vários (três, pra ser mais exata) edredons também, por isso que foi tenso de fazer os pacotinhos, rsrsr!
      E vai ter cartinha siiimmmm! Se for pra mandar sem cartinha eu nem mando! hsiUAHuishas

      Realmente não foi fácil fazer a resenha sem spoilers, rs. Mesmo que o livro não esteja totalmente ligado ao anterior, muitas coisas e pessoas estão. Mas me empenhei pra que todo mundo lesse, assim, a probabilidade de convencer vocês a ler a série é maior! Kkkkkkkkk
      A Lisbeth é a personagem mais incrível que eu já encontrei nessa minha vida de leitora. Ouso dizer que dificilmente outra irá superá-la, pq ela é sensacional demais! Hahahah #TeamLisbeth
      E relaxa que a próxima resenha já está a caminho. Prepara o coração! Hahahha

      Beijocas

      Excluir
  2. Oi, Fabi!
    Na época que li, super devorei esse livro. Pra mim é o melhor da trilogia.
    E esse gif faz sentido sim haahhahah Pelo menos pra quem leu :P
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Dois Anos de Família Hallinson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que eu já li essa série umas três vezes, e devorei os livros em todas elas. E eu acho que eu não saberia escolher qual deles é o melhor... rsrsr

      A intenção era essa mesmo... fazer sentido pra quem leu e deixar quem não leu curioso! Kkkkkkkk

      Beijocas

      Excluir
  3. Ah mas que delicia os mimos como eu gosto Fabi!!!
    A verdade é que até eu atrasei com os comentários aqui e na cidade onde moro não para de chover e ainda vem o frio fico muito preguiçosa.
    Mas recapitulando jurava que essas histórias eram continuações, gostei ainda mais dessa trilogia é esses personagens me fazendo me encantar a cada livro gostei demais.
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chuva e frio fazem com que a gente fique feliz e lenta, né? Hahhaha
      Difícil lutar contra a preguiça nessas horas!

      As histórias são continuações sim, Mari. O segundo livro trás um tema diferente, mas é preciso lê-los em ordem para que as coisas façam sentido, do contrário, algumas coisas ficarão completamente sem sentido pra quem lê.

      Beijocas

      Excluir
  4. Oi Fabi, eu estou numa super preguiça hehehehehehehe Eu achei a capa linda, mas ainda não comecei a ler a série. Admiro quem consegue escrever sobre continuações sem spoiler, mesmo as histórias não sendo com os mesmos personagens eu acho que sempre cometo um deslize rsrsrs adorei o gif sem sentido hehehehhee

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mi, tá difícil num ser preguiçosa esses dias, num tá? Kkkkkkkkk
      As capas dessa série são maravilhosas! Há outras duas edições delas que ficaram bem inferiores, na minha humilde opinião, rs.

      Apesar da estória não estar interligada, muita coisa dá continuidade a partir de acontecimentos do primeiro livro, por isso foi um desafio e tanto falar sobre o livro sem dar spoiler, rs. Mas eu precisava fazer todo mundo ler pra que ficasse mais fácil convencer o povo a ler a série. Nem preciso dizer que ela é uma queridinha, né?
      sHIAuhsuiAHs

      Beijocas

      Excluir
  5. Oii Fabi!
    Por aqui tbm mto friiio e mta chuuva.... tô adorando...
    Estou babando nessa capa, coisa mais linda!
    Não conhecia o livro e já fiquei curiosa pra ler e conhece a escrita de Stieg Larsson q eu tbm não conhecia...
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Aline... Quando o tempo fica assim eu fico toda na torcida pra que isso não acabe nunca! Kkkkkkkkkkkkk
      E as capas são realmente lindas. Uma mais maravilhosa do que a outra!
      E a escrita do Larsson é viciante, vai por mim. Pena que ele faleceu antes de poder nos brindar com mais obras como esta...

      Beijocas

      Excluir
    2. Eu amo essa época do ano, já estou no aguardo do inverno tbm q é minha paixão...
      Aaah que pena ele ter falecido, mais um motivo pra mim conhecer...
      Bjs!

      Excluir
    3. Tô aqui só na expectativa pelo inverno também!
      Aí fico pensando: se é outono e tá frio assim, no inverno será ainda melhor! Hahahhaha

      Beijcoas

      Excluir
  6. Oi, tudo bem?
    Todo mundo falando de frio e minha cidade é puro calor '-' Sempre quis esse box pra mim, mas sempre adiei a compra por medo de não gostar, mas lendo as resenhas me apaixonei mais ainda e assim que surgir a oportunidade comprarei pra mim.

    Beijos da Lua!
    Cantinho da Lua

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que triste, Luna!
      Eu espero que o friozinho chegue por aí logo, pois frio é vida, rs!

      Tomara que as resenhas tenham acabado com seus medos e que vc compre o box meio que pra ontem, viu! Os livros são incríveis, juro juradinho!

      Beijcoas

      Excluir
  7. Oi Fabi!
    Nossa, estou pensando seriamente em comprar o box desta trilogia! hehehe Eu já havia ficado curiosa para ler o primeiro volume e, após ler a sua resenha da continuação, fiquei ainda mais curiosa! Parece que a trama desse segundo volume está ainda mais envolvente.
    Assim que eu tiver a oportunidade, pretendo ler essa trilogia e assistir as adaptações depois :)
    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anninha, eu não sei dizer ao certo, mas acho que este é o meu preferido da série. Assim, nem sei. Eu sou suspeita pra falar na verdade, pois amo cada um deles. Mas este... minha nossa. Ele deixa a gente sem fôlego! Compre logo! Kkkkkkkkk

      Beijocas

      Excluir
  8. Fabiii, você está me instigando a ler essa trilogia de novo (e eu tenho tantos livros pra ler ainda, que não dá tempo pra repetir). Menina, de novo eu não sei o que falar sobre esse livro. Lisbeth é muito maravilhosa e esse autor é incrível demais. Como você disse, tudo que ele escreve tem um sentido. O livro é enorme, mas não tem nada de encher linguiça, tudo faz sentido no final (nem que o final só chegue no livro seguinte, o que acontece hahaha).
    E outra coisa, eu não sabia que o primeiro livro tinha dois filmes, acho que só assisti a versão sueca, vou procurar a assistir a outra pra ver se é bom também.
    Beijooos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, eu tô pensando em ler de novo também, Crissie! E olha que minha lista de leitura tá enorme de grande! Kkkkkkkkkk
      E sim, há duas versões. Eu achei a versão americana muito forçada. Senti que quem não leu o livro não vai entender bem o que rola na trama, sabe? E a Lisbeth ficou muuuito forçada. Ficou com cara daquelas patricinhas que resolvem dar uma de gótica, mas que nunca perdem a cara de patricinha, de delicada. Não refletiu em nada a personalidade da personagem.... sem contar que não senti química entre ela e o cara que fez o Blomkvist - que, a propósito, foi o Daniel Craig!
      Assiste e depois me conta!

      Beijocas

      Excluir
  9. Oi, Fabi!!
    Estou adorando conhecer essa trilogia!! Não sabia que tinha os filmes baseados nos livros!! E melhor que tudo tem na Netflix!! Vou procurar para assistir mas ainda quero ler os livros.
    Bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou daquelas chatas que prefere ler antes de assistir os filmes, mas nesse caso, como tanto os filmes quanto os livros são queridinhos, pode atropelar a ordem, eu deixo! Kkkkkkkkkkkkkkkk
      #Brincadeirinha

      Eu espero que goste dos filmes e dos livros. Eu os adoro! Nem preciso repetir, né? Hahha

      Beijocas

      Excluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo