Menu em imagem

Image Map

22 fevereiro 2017

{Resenha} ~ Pílulas Azuis - Frederik Peeters ~

Hey,  pipows!
Como estão?

Eu estou bem animada, apesar de ter que voltar à labuta hoje! A animação se deve ao fato de finalmente ter conseguido colocar em ordem as duzentas coisas que precisavam de atenção por aqui... e o blog foi uma delas. Consegui responder todos os comentários, deu pra ler um pouco e, melhor ainda, deu pra vir falar com vocês nesses últimos dias. Espero que agora que tudo está em ordem, me sobre mais tempo pra poder vir falar com vocês todos os dias, assim como era antigamente. #Oremos

A resenha de hoje vai ser diferente. Eu vim pra falar de mais uma HQ mara que eu li esse ano, e ela me trouxe não só doces lembranças da minha época de criança, quando eu lia muitas e muitas HQ's - Turma da Mônica, Tio Patinhas, e por aí vai - mas também me trouxe uma agradável leitura sobre um tema que ainda é rotulado de forma negativa, a AIDS e o HIV.

pílulas azuis hq
Quando li: Janeiro, 2017.
Título: Pílulas Azuis
Autor(a): Federik Peeters
Editora: Nemo
Páginas: 206
Avaliação: 
Onde comprar? Amazon | Americanas | Submarino
Sinopse: Nesta narrativa gráfica pessoal e de rara pureza, por meio de um roteiro simples e de temas universais (o amor, a morte), Federik Peeters conta sobre seu encontro e sua história com Cati, envolvendo o vírus ignóbil que entra em cena e muda tudo, e todas as emoções contraditórias que ele tem de aprender a gerenciar: amor, raiva, compaixão. Pílulas azuis nos permite acompanhar, sem nenhum vestígio de sentimentalismo, através de um prisma raramente (senão nunca) abordado, o cotidiano de uma relação cingida pelo HIV, sem deixar de lançar algumas verdades duras e surpreendentes sobre o assunto. Apesar da seriedade do tema, Pílulas azuis é uma obra cheia de leveza e humor. Não é à toa que é considerada por muitos a obra-prima de Federik Peeters. Uma das mais belas histórias de amor já publicadas. 

Cá temos uma HQ autobiográfica que conta a história do autor, Frederik Peeters, e Cati, uma moça que ele conheceu numa noite de festa, num réveillon regado a álcool e pessoas desinteressantes - até Cati aparecer e salvar a sua noite. Depois de horas e horas de papo, papo esse que fez com que os dois se desligassem por completo do restante da festa, eles se despedem para, aparentemente, não se verem mais. Mas o destino sempre dá uma forcinha quando a coisa é pra ser, né?

E eis o que acontece: Frederik e Cati se encontram em algumas outras oportunidades, mas é só muitos anos depois que eles realmente vão sentar e ter uma conversa agradável como a daquela festa. Nela, Frederik descobre que ela se divorciou recentemente, que tem um filho, que está vivendo bem... e que agora é portadora do vírus HIV. E essa informação não aparece do nada, não. Aparece quando ambos mostram aquela ligação boa que diz que aquele papo vai terminar na cama... e sim, termina na cama. Mesmo sabendo que ela tem HIV? Sim!

 Após essa noite agradável, Frederik começa a fazer um balanço de como pode vir a ser essa possível relação. Obviamente o medo aparece, assim como o amor, a compaixão, pena, raiva, necessidade de proteção, e amor de novo. E o amor prevalece, no fim das contas.

pílulas azuis hq

Ele é um cartunista, e a ideia da HQ surge quando Cati diz a ele que eles precisam contar para a mãe dele que ela é portadora do vírus. Infelizmente eles não sabem qual será a reação dela, por isso, a intenção dele é mostrar para a mãe - e para nós, leitores - que pessoas com HIV são pessoas, nada mais. A intenção é nos mostrar que eles são normais, e que nem mesmo os perrengues pelos quais eles passam, os impedem de serem felizes, de terem uma vida plena.

pílulas azuis hq

Acompanhamos aqui a vida de um casal normal, com vida sexual ativa, que tem uma criança que precisa de cuidados como qualquer outra... com a diferença de ter que tomar suas pílulas azuis três vezes ao dia, assim como sua mãe, pois ele também é portador do vírus. Acompanhamos também um momento bastante delicado, quando durante uma relação sexual, o preservativo estoura. E agora, José? Deu ruim!?

Na verdade não. O médico explica ao casal - e também a todos nós - que o contágio não é assim tão simples quanto pensamos. Ele tira dúvidas que eu mesma tinha, e após essa tal consulta, a vida do casal fica ainda mais plena, mais divertida, amorosa, pois os medos vão aos poucos caindo por terra.

pílulas azuis hq

Eu nunca li nada tão leve e explicativo sobre o HIV e sobre pessoas que convivem com o vírus diariamente. Normalmente as matérias que vemos por aí são didáticas demais, e quase sempre, sensacionalistas. Transformam os portadores em leprosos, quase nos incitando a manter distância dos mesmos. Aqui vemos que é possível viver com saúde mesmo carregando esse vírus tão perigoso e assustador, que é possível amar e viver normalmente com pessoas que não são portadoras do vírus, e que essas pessoas não precisam ter tanto medo assim, afinal, nem tudo é proibido quando o assunto é beijo, abraço e até mesmo sexo.

pílulas azuis hq

Frederik tem sim seus momentos de dúvidas, seus momentos temerosos, mas o mais legal é ver que não é medo do contágio, somente. É medo de perder a mulher que ele ama. Medo de perder o Pequeno (filho de Cati) pra essa doença tão cruel. Se formos parar pra pensar, não há nada de anormal nisso, afinal. Todos temos medo de perder quem amamos. E o medo dele não é de perdê-los para a doença em si, mas também de perdê-los para o preconceito das pessoas que estão à sua volta, por exemplo - e vale frisar que tal preconceito não acontece, afinal, todos os amigos de Frederik o apoiam e super dão força ao relacionamento deles.

Ele sabe que tem uma mulher de fibra ao seu lado. Ele sabe que faria qualquer coisa por ela e vice-versa. E não é o que todos fazemos por aqueles que amamos?

pílulas azuis hq

Pílulas azuis nos ensina a ver o mundo de forma mais pragmática, sucinta e simples. Nos mostra que essa nossa tendência de dificultar tudo só faz piorar as coisas, e que a vida pode sim ser linda, independente de qualquer coisa, independente de um vírus tão preocupante e destrutivo. Nos ensina que a vida é pra ser vivida, independente do resto. Ele nos ensina formas mais simples de viver!

pílulas azuis hq

Além de todos esses ensinamentos, também somos agraciados com uma arte simples, moderninha, agradável aos olhos. Nada elaborado demais, e isso casa super bem com a leveza da história. Essa HQ nos arranca suspiros, gargalhadas, preconceitos. Sim, ele arranca por completo qualquer tipo de preconceito que poderíamos ter! Afinal, pessoas com HIV nada mais são do que pessoas. Frederik que o diga!

Super indico! Eu fiquei arrependida por ter demorando tanto pra lê-la! Essa HQ foi a escolhida para lermos em nosso grupo de leituras Rouge Literário, foi o livro de janeiro. Escolha acertada, linda por demais. Se você tem dúvidas, preconceitos, curiosidade ou seja lá o que for acerca do assunto, se joga nessa história! Te desafio a não se apaixonar.


35 comentários:

  1. Oi Fabi.
    Esse livro infelizmente reuniu duas coisas que não curto muito que são HQ e autobiografia, mas confesso que adorei que tirou muitas lições impontantes dessa história adoro quando isso acontece comigo, adorei a arte como você citou ficou absolutamente lindas essas fotos e se não fosse por isso eu leria sem sombra de dúvidas.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não curto autobiografia, Marlene! Mas este livro não parece ser autobiográfico, sabe? Ele tem um quê de uma história contada por uma pessoa próxima, mas não a pessoa que realmente vivencia tudo isso.
      Espero que vc mude de ideia e dê uma chance a ele qualquer dia desses, pois ele é sensacional.

      Beijocas

      Excluir
  2. Resenha linda Fabi. Fazia tempo que não te via se empolgar tanto em um resenha assim.
    Realmente essa HQ trata quase que de um assunto tabu, ninguém quer falar sobre isso, ninguém sabe muito sobre isso e ninguém se importa muito com quem tem que conviver com essa doença todos os dias. Tudo que vemos falando sobre a aids por ai é tão superficial e tão surreal as vezes que faz a pessoa pensar que só de chegar perto de alguém soro positivo já é o suficiente pra ficar contaminado tbm, como se fosse um resfriado.
    Gostei muito do fato do assunto ser tratado de forma leve e mesmo assim explicativo. Vou ver se ainda esse ano tbm leio pois já vi muitas críticas positivas sobre essa HQ.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Difícil não se empolgar ao falar desas HQ, Alleh! Ela é sensacional!
      Depois que eu a li, a sensação é de que todas as pessoas que falaram sobre o assunto antes não sabem nada sobre ele. Que precisam ler esta HQ pra depois terem coragem de falar mais alguma coisa sobre o HIV.
      Tomara que possa lê-la em breve!

      Beijocas

      Excluir
  3. Adorei! Hoje em dia é possível se conviver com quase todas as doenças, o que mata é o preconceito, a intolerância. Isso ficou bem claro na história... e que história!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou tudo, Jois!
      O problema não é a doença. É o preconceito, a intolerância, a falta de conhecimento.

      Beijocas

      Excluir
  4. Oi Fabi! Adorei a resenha!

    Eu não conhecia essa HQ, mas fiquei muito curiosa pela leitura, até porque quero começar a ler mais HQ's também, que é um tipo de livro que não costumo ler muito.

    Achei muito interessante o autor explorar e expor um tema tão delicado, mas também muito importante de ser discutido com mais leveza, clareza e com menos preconceito na nossa sociedade.

    Também gostei dos traços do autor. Como você disse, são ilustrações simples, mas muito bonitas.

    Vou adicionar esse livro nas minhas metas de leitura, com certeza!

    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que bacana querer colocar mais HQ's nas suas leituras, Anninha! É uma boa pedida, sem dúvidas!
      Tomara que possa ler Pílulas azuis em breve, pois ela é realmente sensacional, sensível e muitoooo informativo. Vamos acabar com os preconceitos!

      Beijocas

      Excluir
  5. Olá, raramente leio HQs, mas não porque não gosto e sim por falta que tempo. A história aborda temas importantes e que estão em alta na sociedade o que, somada aos personagens cativantes, nos proporciona uma leitura rica e com reflexões. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa HQ flui super rápido, Alison!
      Eu a li em menos de uma hora, pra vc ter ideia! E fiquei chateada quando ela acabou, mesmo tendo um final muitooo amorzinho, rs!
      Espero que possa lê-la qualquer dia desses. Beijocas!

      Excluir
  6. Olá!!
    Não curto muito mais porque realmente quase não conheço muitos, mais esse me pareceu incrível ensinando ao leitor muita coisa, adorei conhecer um pouco do livro realmente é uma historia super interativa e cativante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marília, eu não leio mais HQ's como antigamente, mas esta me deixou com vontade de er muitas mais, pois eu amei. Espero que possa lê-la também, pois além de ter uma abordagem fantástica de um tema importante, tem uma sensibilidade linda de se ver.

      Beijocas

      Excluir
  7. eu estou louca para ler essa HQ
    só vejo elogios, achei bem legal o fato de ser uma história pelo jeito bastante interessante sobre o HIV e amei as fotos e os traços do HQ
    está na minha lista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que bom que ela está na sua lista, Mari! Tomara que vc possa lê-la rapidinho. Ela é fantástica!

      BEijocas

      Excluir
  8. Fiquei bem curiosa por conta da temática. Não é sempre que vemos uma obra que fale sobre HIV, sem mostrar somente as piores partes da vida do portador do vírus. Depois de ler sua resenha, fiquei com muita vontade mesmo de conhecer a HQ, e vai pra lista de desejados com certeza. Espero poder ler logo.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também espero que possa ler logo, Ingrid! Ela realmente nos traz um prima diferente da doença, nos faz ver tudo com outros olhos. COmo eu disse ali em cima, acho que todas as pessoas que já falaram sobre o assunto até hoje deveriam lê-la antes de falar mais alguma coisa, rs.

      Beijocas

      Excluir
  9. Oi Fabi, faz um tempo que quero ler essa HQ, porém ainda não consegui comprar com meus escassos dinheirinhos, bom, eu conheço uma pessoa portadora do vírus HIV há mais de vinte anos e nunca entendi como as pessoas estranham uma pessoa viver tranquilamente, pois o que existe aos monte é o péssimo e velho preconceito. Aquele que dita o que devemos ou não fazer mas que nunca se mostra como algo a aprender. Eu vou sim ler um dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Dri, vc disse tudoooo! O problema é realmente o preconceito... e a falta e informação também ajuda! O que vemos por aí normalmente nos assusta e nos faz querer ter distância de pessoas com a doença, e isso é tão errôneo!
      E uma dica: vira e mexe essa HQ está em promoção na Amazon. Eu a comprei por R$15,90, precinho amigo! Rs

      Beijocas

      Excluir
  10. Nunca li uma HQ que falasse de um tema tão sério, fiquei bem curiosa para ler. informação nunca é demais, a gente sempre acha que sabe de tudo ,mas sempre temos algo para aprender e barreiras a derrubar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a primeira vez que eu leio uma HQ séria também, Kris! E depois dela, lerei outras mais, sem dúvida. A abordagem da HQ sempre nos dá uma sensação diferente ao ler um assunto tão delicado, né?

      Beijocas

      Excluir
  11. Vi essa hq em um blog e achei muito interessante. É bem diferente e tem um tema meio tabu, uma coisa que não acabo lendo muito. E hq também não é lá um estilo de leitura que pego pra ler sempre, então tem isso também. Seria uma leitura bem diferente pra mim.
    E pelo jeito vale muito a pena.
    Achei legal esse tom que ele tem de fazer a gente ver a vida de uma forma mais simples, descomplicar as coisas e tal.
    Parece muito bom =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre uma delícia sair da nossa zona de conforto, Cris. E sair dela com essa HQ é uma boa pedida, pode apostar! ;)

      Beijocas

      Excluir
  12. Oi Fabi, estou com projeto esse ano de começar a ler obras que não lia antes.
    E passar a ler HQ's é um desses projetos. Achei essa bem interessante, por ser uma autobiografia e por tratar de um tema desses, mas não sei se escolheria para ser minha primeira leitura de HQ sabe.
    Beijokas
    [SORTEIO]Baile Literário
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho super válido o seu projeto, Pri!
      Eu era super resistente à outros gêneros antes de ter o blog - ainda sou, na verdade - mas sempre que abri exceções, fui feliz nas escolhas. E sem dúvidas, dar uma chance à Pílulas azuis vai fazer com que seu projeto super valha a pena!

      Beijocas

      Excluir
  13. Oi Fabi, acho tão necessário esse assunto ser mais abordado. Eu mesma tenho um milhão de dúvidas sobre o vírus e acho que a mídia mostra ele como algo super perigoso e impossível de se conviver. Isso acaba criando preconceitos e um monte de problemas na vida das pessoas que têm o vírus. Fico super feliz em ver o tema ser abordado de maneira tão leve e, acima de tudo, que informa sem afastar. Por mais livros assim, por mais autores assim! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antes de lê-la eu também tinha uma série de dúvidas, Crissie, e todas elas foram lindamente sanadas! E vc tem razão: o assunto deveria ser mais abordado. Mas acho que tem que ser abordado com a mesma leveza usada pelo autor nessa HQ, pois ela faz toda a diferença. A sociedade nos deixou muito assustados por conta do vírus, formou pessoas preconceituosas pelo simples fato de não dar as informações que são realmente necessárias.
      E concordo: precisamos de mais livros assim, de mais autores assim.

      Beijocas

      Excluir
  14. Oi Fabíola :)
    Li esse livro ano passado e apesar dele não ter virado favorito me surpreendi muito. Assim como você muitas dúvidas minhas foram respondidas sobre esse assunto que ainda hoje ainda é tabu. Gostei muito da autora não fazer um livro sobre a doença em si, mas sobre pessoas que a têm. E aquele final amorzinho? Fiquei muito feliz que depois de tantos anos eles ainda estavam firmes e fortes.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquele final deixou tudo ainda mais lindo, né? Ai gente, muitoooo amor envolvido!
      E infelizmente, o assunto ainda é um tabu, o que é uma pena. Se ele fosse devidamente abordado e explicado, sem dúvidas as coisas seriam diferentes.

      Beijocas

      Excluir
  15. Oi, Fabi!!
    Menina adorei esse Hq!! Acho que nunca li nenhum Hq que aborda-se o tema do vírus HIV!! Gostei muito, e principalmente por que ele explica que uma pessoa com HIV pode ter um vida normal como qualquer outra!! Amei a indicação!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marta, essa HQ é super especial, sem dúvidas!
      A gente fica com o coração quentinho após lê-la, e ficamos com a sensação de que as coisas poderiam ser totalmente diferentes do que são caso o assunto fosse melhor abordado pela sociedade. POr mais livros assim!

      Beijocas

      Excluir
  16. Amei a resenha Fabi!
    Gosto bastante do estilo dessas HQs, mas Maus foi a única Graphic Novel que li e acho que o único livro que li sobre o tema HIV foi Depois Daquela Viagem. Achei interessante o autor abordar um tema que ainda desperta polêmicas, dúvidas e preconceito, de uma maneira tão delicada e elucidativa ao mesmo tempo. Parece ser uma leitura gostosa e acolhedora!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse bloguer está de sacanagem comigo, espero que dessa vez o comentário tenha ido mesmo, depois de duas vezes apagado na hora de postar!

      Excluir
    2. Super, Jacque!
      A gente termina de ler a HQ e sente o coração quentinho, sabe?
      E eu tô doida pra ler Maus! Esse ano eu quero ler muitas HQ's, ela está na minha listona, hehe.
      E o blogger tá um caso sério, viu. Tá dificultando a vida de todo mundo por aqui. Mandei um e-mail com reclamação, vamos ver se vão responder...

      Beijocas

      Excluir
  17. Oi Fabi...
    Sempre adorei HQ's (principalmente Turma da Mônica, que até hoje pego alguma para ler em um tempinho vago)... Adorei esse livro e quero poder lê-lo em breve... Muito bacana saber que trata um tema ainda cheio de tabus de forma leve e explicativa. Amei sua resenha...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Turma da Mônica sempre terá um lugar especial no meu coração, Cris! E faz tempo que não leio nenhuma revistinha... deu saudade. VOu procurar uma pra ler pra ontem, rs.
      E essa HQ tb conseguiu seu espaço no meu coração. Ela é linda, leve, e acho que o mundo inteiro deveria lê-la.

      Beijocas

      Excluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo