Menu em imagem

Image Map

03 setembro 2016

{Resenha } ~ Muito mais do que 5inco minutos - Kéfera Buchmann ~

Oi pipow!
Como estão?

O que estão aprontando nesse sabadinho? Eu estou aqui de bobeira... dando um jeito de me preparar pra resenha que vem a seguir. Sim, senhoras e senhores, é preciso um preparo e tanto.

Dia desses eu fiz uma tag lá no canal do blog - Clique aqui para ver o vídeo. Ela se chama Roleta Russa, e consiste em fazer uma roleta russa ao contrário. A proposta é colocar dentro de um potinho cinco livros/autores/gêneros que você não gosta e/ou não se vê lendo nem tão cedo e somente um livro para servir de refresco, um livro que vocês esteja realmente afim de ler. Já no título desse post você já pôde ver que eu me ferrei no sorteio, né? Um dos meus tiros certeiros era uma biografia de youtuber... e dentre eles, escolhi o que (erroneamente) julguei ser o menos pior - Muito mais do que 5inco minutos, da Kéfera Buchmann.

Falei logo ali que eu estava me preparando pra essa resenha, e não foi exagero. Essa vai ser uma resenha punk e curta. Não deixe de me amar por isso, please.

Quando li: Setembro, 2016.
Título: Muito mais do que 5inco minutos
Autor(a): Kéfera Buchmann
Editora: Paralela
Páginas: 144
Avaliação: 
Onde comprar? Amazon | Americanas | Submarino
Sinopse: Com uma mistura de humor, improviso e sinceridade, Kéfera Buchmann é hoje um dos maiores fenômenos da internet brasileira. Seu canal no YoutTube, 5inco Minutos, é assistido por milhões de pessoas. Mas de onde surgiu o furacão Kéfera? É o que ela conta neste livro, que reúne histórias pré-fama de sua infância e adolescência.
Sem papas na língua, ela fala de relacionamentos, do primeiro beijo, de micos épicos e até temas difíceis, como o bullying que sofreu na escola. O resultado é muito mais do que um livro de celebridade comum.

Antes de começar, quero dizer que eu sempre respeitei e sempre vou respeitar o gosto de cada um. E por isso, espero que respeitem o meu. Gosto é uma coisa complicada, mas que faz total diferença! Imagine só que coisa chata seria se todos nós gostássemos das mesmas coisas? Seria um saco. E é por isso que, como dizem por aí, gosto é igual ao bumbum, cada um tem o seu. Sim, eu sei que falar a palavra "bumbum" num blog de família é feio, mas foi inevitável, sorry.

Enfim, recado dado.
Vamos ao que interessa.

O livro é bem curtinho e rápido de se ler. Eu o li durante o meu horário de almoço, para terem ideia (e corri o risco de ter uma indigestão). Ele fala sobre o passado de Kéfera e sua caminhada até aqui. Ela conta "causos" de sua infância e adolescência, narrando sem papas na língua uma série de acontecimentos que, se tivessem sido melhor trabalhados, poderiam ter um apelo e tanto. Mas não foi o que rolou,

A sinopse já fala bem o que encontramos nessa obra: micos - que não achei tão épicos assim -, relacionamentos e bullying. A diferença é que não vi humor algum, nem mesmo improviso. O que eu vi foi uma pessoa desesperada para escrever páginas e páginas para encher o livro. Lembra a época de colégio, quando a professora mandava fazer uma resenha e estipulava o número de linhas e você ficava enchendo linguiça pra alcançar aquilo que ela determinou? Pois é.

Uma série de "coisinhas" na narrativa me incomodou. Ela foi repetitiva. É possível, por exemplo, contar quantas mil vezes ela disse QUE FASE HEIN?, e, principalmente, o fato de começar a desenvolver um assunto/história e, de repente, perder o fio da meada e falar sobre outra coisa complemente diferente e, de repente de novo, voltar ao assunto inicial. Não ouve coerência, e isso me deixou bolada

Como eu disse ali em cima, se os temas tivessem sido melhor abordados, teria sido um bom livro. É inegável que a Kéfera tem jeitinho pra falar com os jovens, ela usa uma linguagem irreverente, simples e atual, mas infelizmente ela não soube aproveitar o seu benefício. Ela poderia influenciar positivamente os jovens com suas experiências de vida, mas o que senti foi algo beirando a indiferença.

Kéfera foi uma criança gordinha que passou maus bocados por conta disso. Todos sabemos que as crianças, quando querem, são extremamente cruéis, e a autora sentiu isso na pele. Quando o assunto foi abordado, senti que ali o livro seria salvo, pois infelizmente, muitos jovens sofrem com tal problema, e é preciso falar abertamente sobre ele. Mas ela não o faz. Ela conta suas frustrações, medos e traumas, mas não passa nada de positivo pra quem lê. Acredito que possa ter rolado um medinho de que ser um exemplo a ser seguido pudesse fazer o livro ter uma pegada meio que de "auto ajuda" mas, de coração, queria que ela tivesse feito isso. Afinal, só quem sentiu na pele e superou pode incentivar quem está passando por tal situação.

Ela aborda os relacionamentos de forma chula, como se amar fosse algo de outro mundo, doído e sem o lado bom da coisa. Ela relatou alguns "pés na bunda" que ela levou e mostra somente o lado feio do amor. Aquele lado que faz doer pois podemos não ser correspondidos ou, por um motivo ou outro, o relacionamento pode não dar certo. Cadê o lado bonito? Não é possível que ela nunca tenha visto o lado lindo e puro do amor!

Somos agraciados com algumas fotos que ficaram até bem bacanas, mas a sensação que fica quando elas aparecem é aquela (perdão pela maneira com que irei me expressar) tipo "chupa mundo! Eu era gorda e agora eu sou gostosa".

Sempre que leio um livro eu tento aprender algo, tento tirar algo de proveitoso dele. O que aprendi com esse foi que, infelizmente, o Brasil será capitalista pra sempre. Editoras grandes que preferem ganhar rios de dinheiro publicando livros rasos como esses ao invés de publicar algo realmente bom - e isso não falta no mercado! - não merecem o meu respeito nem admiração. Eu espero que um dia as coisas mudem e que assuntos importantes como os que tentaram abordar nesse livro sejam realmente levados a sério e que sejam abordados com seriedade.

Peço desculpas àqueles que são fãs da moça, àquelas que curtiram o livro e tals. E, olha, assisti alguns vídeos no canal dela, e confesso que não os achei tão ruins assim. Até dei boas risadas. Mas infelizmente, não posso dizer o mesmo do livro. E mais um será publicado em breve. #QueDeusAbençoeALiteraturaNacional


46 comentários:

  1. Como eu estava esperando esse dia Fabiiii. Kkkkk. Esperei ansiosa para saber sua opinião (já imaginava). Não vou comentar muito, pois minha opinião é parecida.Acho um baita desperdício de dinheiro E um assassinato desnecessário de árvores. E já me expressei bastante no post inicial. Mas ainda bem que você saiu viva e sem indigestão dessa. Cuidado com esses desafios. Kkkk. Bjinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaa. Éramos duas aguardando ansiosamente esse dia Andlas.

      Excluir
    2. Kkkk já imaginávamos o que ela acharia. Kkkk.

      Excluir
    3. Assassinato de árvores desnecessário é pouco, viu. E isso me deixa chateada. Tanta coisa boa pra ser publicada e o povo fica perdendo tempo com essas coisas que não acrescentam nada!
      #Chateada

      Pelo menos eu sobrevivi!
      sAhsuiAHuishas

      Beijos

      Excluir
  2. Olá,
    Nossa, adorei a ideia da TAG que tinha como dever quebrar sua ideia de 'ruim' mas só piorou hahaha mas quem sabe futuramente você lê um do estilo que curta, né?

    Eu não sou fã, nem acompanho os vídeos. Talvez eu até leia por curiosidade, mas nem vou com muita sede ao pote. Adorei tua resenha!

    P.S.: A Penelope de Vicious é demais. Tomara que você curta :D

    tenha um ótimo domingo.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nana, foi realmente bem traumatizante essa leitura, viu. Acho que se tivesse caído outro gênero que coloquei no sorteio, provavelmente a possibilidade de eu me surpreender seria maior... mas no fundo no fundo eu sabia que não ia curtir esse livro. Simplesmente firmou o que eu imaginava... apesar de que foi pior do que imaginei! :(

      Beijos

      Excluir
  3. Aiai Fabi, o importante é que você sobreviveu à essa terrível leitura. Sobre o assunto livros de youtubers você já sabe minha opinião, então vamos encurtar a história. Já imaginava que o livro fosse raso e sem nada a acrescentar pois infelizmente é isso que vende e dá dinheiro as editoras. Estamos numa geração sem conteúdo que se contenta com pouco, que quer livros curtos por preguiça de ler algo maior, uma geração que ta "emburrecendo" e ninguém ta fazendo nada... #desabafei
    Esse assunto me deixa nervosa. Mas enfim, o canal dela não é ruim, é legalzinho pra passar o tempo e se distrair com bobeirinhas, pena que ela não soube usar o seu "sucesso" pra fazer algo que fosse fazer a diferença.
    Fiz textão de novo rsrsrs
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raso é apelido, Alleh! Parecia uma poça d'água!
      E infelizmente vc está certa. A geração hoje se contenta com pouco... e a tendência, acho, é piorar. Eu fico chateada demais por isso, pois hoje temos tanta coisa boa no mercado, é tudo tão mais simples do que era antigamente... mas fazer o quê?
      O jeito é torcer pra que as coisas melhorem com o tempo!

      E eu adoro textão! Hahaha

      Beijos

      Excluir
  4. É uma pena que o livro tenha sido tão ruim para você, realmente acabou tendo azar na roleta russa, mas fazer o que?
    Eu não me interesso por livros de youtubers, principalmente pelo motivo de que já cheguei sim a ver alguns vídeos deles no passado, como no caso da Kéfera, mas não ao ponto de ser fã, era um interesse passageiro devido a tantos comentários sobre. Logo, se nem mesmo vídeos eu acompanho, não gastarei dinheiro no livro.
    É uma pena que alguns assuntos não tenham sido abordados da forma construtiva, levando em conta o grande público, poderia ter feito alguma diferença =/
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Azar é pouco, Karina! Rs.
      Acho que esse era o pior tema que eu poderia ter colocado, pois já não sou fã de biografias... de youtubers ainda por cima? Meu Deus!
      O que me consola é que eu achei o livro pra baixar e não gastei nem um centavo por isso! Jamais gastaria meu rico dinheirinho com um livro assim... aiai!

      Beijos!

      Excluir
  5. Não existe tag nesse mundo que me faça ler livro de youtuber teen.. É muito complicado ler um livro como esse, de páginas "vazias"..
    Gostei da sinceridade da resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Catherine!
      Esse foi o maior sacrifício que eu poderia fazer pelo blog, fato!
      Rs

      Beijos

      Excluir
  6. Que pena que não tirou proveito de nada.Achei que teria algo legal no livro ,que pudesse mudar minha opinião de não gostar de biografia de Youtubers
    .Vc tem razão nos vivemos neste mundo capitalista que não se importa mas com o conteúdo bom, e sim o seu lucro.
    Eu gosto de Youtubers assisto alguns,só não gosto das biografias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achei que eu pelo menos daria umas risadas... mas nem isso, Simone! A coisa foi feia de verdade! Hahahah...
      Eu acompanho youtubers literários e, inclusive, sou fã de carteirinha de alguns. Mas acho que eles nem podem ser chamados de youtubers, afinal, eles não fazem somente isso da vida como esses famosinhos por ai! Rs

      Beijos

      Excluir
  7. Ahahaha adorei sua resenha! Tenho lido e assitido resenhas sobre os livros dos youtubers (Jout Jout e Pc Siqueira) e a opinião é unânime: corram pras montanhas!!! Essa coisa de apenas soltar títulos e mais títulos ruins mas q vendem pq são feitos para um público específico (fãs) é muita baita sacanagem!!! Brasileiros de uma forma geral leem pouco. Daí a galerinha jovem vai ler e encontra essa literatura de faz de conta pós-moderna youtubiana! Ahh neemmm... voltemos aos livros de verdade! Pq isso aí só nos provoca azia e má digestão! Ahahaha Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glenda... você definiu de forma fofa o que eu queria ter dito: Corram para as montanhas! Salve-se quem puder! Rs.
      Acho que o investimento das editoras é tão imenso pra coisas tão rasas... enquanto isso, excelentes autores precisam suar a camisa pra conseguir reconhecimento e, muitas vezes, não conseguem. #Chateada
      E voltemos aos livros de verdade! Até pq eu acabei de almoçar, e falar sobre esse assunto pode me causar coisas! shAHiusHAs

      BEijos

      Excluir
  8. Oi Fabi,
    Não esperava uma resenha tão sincera assim, rs.
    Infelizmente são esses que fazem sucesso no nosso país. Vi fotos da bienal de São Paulo, aquelas filhas para o autógrafo da Maju ou para o lançamento do próximo livro da Kefera. Sabe, eu não pretendo ler esses livros, não to lendo nem a biografia dos meus ídolos, Chico Buarque, Renato Russo, Dave Grohl, que dirá Maju ou Kefera.
    Maass, como você disse, gosto é que nem bumbum.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simplesmente não indico pra ninguém, Maria!
      E eu nem fui tão sincera assim. Se eu tivesse sido sincera, a resenha teria censura 60 +, pois eu falaria aquelas coisas bem cabeludas!
      sHAIshUIAHsas

      Beijos

      Excluir
  9. Olha pelo lado bom: pelo menos pode dizer que leu e não curtiu essa moda de livros do tipo....talvez :S
    Acho que fica melhor é ver os vídeos dela mesmo. Pelo que falou ali parece que o livro tem todo o jeitinho dela de narrar os casos, mas fica mais engraçado assistindo do que lendo, não é? Muita repetição de coisas também fica bem chato...
    Não vi graça nesses livros que estão lançando assim e por mim não leio nada, só se for forçada mesmo.
    Tem coragem de tentar algum outro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que ela não conseguiu ser o que ela é ao escrever, sabe? Sinceramente acho que não é qualquer um que consegue tal façanha. Ela misturou certa formalidade com sua loucura típica, e num deu certo. Enfim... Ficou tenso!
      Mas pelo menos eu cumpri a minha parte no trato, rs!

      BEijos

      Excluir
  10. Estava aguardando suas impressões desde o dia da TAG, concordo que cada um tem seu gosto e gênero literário, e temos que respeitar aquelas que discordam de nós. Eu li esse livro, e como sou fã da Kéfera gostei bastante de saber mais sobre seu passado em um livro curto e humorado, mas mesmo admirando seu trabalho percebo que ela perdeu o foco e até passou uma mensagem errada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma pena que mesmo vc, que seja fã, tenha tido essa impressão ruim, Fê! Uma pena mesmo...
      Espero que ela tenha aprendido mais e que o novo livro não a decepcione!

      Beijos

      Excluir
  11. Oi Fabi....
    Estava aguardando ansiosa a sua resenha desde quando assisti ao vídeo da TAG... Confesso que também não sou fã de biografias de Youtubers e também não sou fã da Kéfera... Amei sua sinceridade na resenha e agora pude ter a certeza de que realmente é um livro que não tenho um pingo de vontade de ler... Mais sorte nas próximas TAGs.. kkk
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tô precisando de sorte mesmo, Cris!
      O resultado desa TAG só confirma o que eu sempre digo: a sorte sempre passa longe da minha pessoa! shIAhsuiAHs

      Beijos

      Excluir
  12. Oi Fabi!
    Adorei a resenha, principalmente por eu concordar com você. Não assisti nenhum vídeo dela e também não li o livro, mas não pretendo ler. Não tenho nada contra de livros de Youtubers, até porque tem vários que eu quero ler. Mas eu quero ler livros de ficção e que tenham uma história e não livros autobiográficos. Então não vou apostar na leitura desse livro. E que bom que você conseguiu cumprir o desafio da TAG! Bjos! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida ler livros autobiográficos não é algo que agrade a todos... e ainda mais quando a pessoa não tem uma mensagem positiva pra passar!
      Mas tô feliz por ter cumprido a tarefa! E que venham mais furadas!
      sHAIshUAHSas

      Beijos

      Excluir
  13. Querida Fabi...
    oq eu mais gostei da resenha foi que eu concordei com tudo escrito e ate assinaria meu lindo nome em baixo.
    Ontem mesmo eu estava dando uma volta na Saraiva e vi uma sessão de livros de youtubers, comentei com uma amiga "Eu não tenho paciência para esse tipo de livros" , dai ela perguntou "pq?" no mesmo instante uma jovem chegou gritando e quase chorando em beira a histeria adolescente " Mããããããe.... o livro do Lira, compra pra mim em nome de Jesus.". Minha amiga simplesmente disse "ah...."
    Uma coisa que vc falou foi sore o fato de não ter gostado dela esta falando sobre algo e depois mudar de assunto e depois voltar para o inicio, eu particularmente gosto muito da narrativa em fluxo de pensamentos,é uma narrativa muito boa; Lygia Fagundes Telles esta ai para provar isso. Talvez a jovem autora não soube aproveitar o recurso literário de forma satisfatória.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto de narrativas assim, Thi! Mas acontece que ela não manja dos paranauê de fazer algo nem ao menos parecido com o que a Lygia faz. Simples assim!
      E quanto ao "incidente" na livraria... sua amiga teve a prova concreta dos meus motivos pra ter tanta preguiça desse tipo de livro! SEN OR! Rs

      Beijos

      Excluir
  14. Oi Fabi.
    Que pena que o livro não te agradou, mas ainda bem que você estava preparada para isso.
    Assisti somente a um vídeo dela e não achei nada engraçado.
    Acho que ela perdeu a oportunidade de passar uma mensagem legal para os jovens (um pouquinho de auto ajuda não seria nada terrível), como ela era gordinha na infância ela poderia ter mostrado como superou o bullying, com a ajuda da família e amigos, ou qual lição tirou com a experiência.
    Espero que se você fizer a TAG da Roleta russa novamente você tire o refresco rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente ela perdeu a oportunidade de ser útil à sociedade, Pamela! Pq ela poderia ter dito coisas realmente legais.
      E eu também torço pra tirar um refresco! Tô precisando! hsIAhsiuAs

      BEijos

      Excluir
  15. O que você não riu lendo esse livro, eu ri lendo a tua resenha! Não tenho o mínimo de vontade de ler essa livro, não acompanho nada sobre essa guria, é até um tempo atrás quando eu via a palavra Kéfera, nem sabia do que se tratava (uma marca? Um remédio? Uma doença?) Concordo com Boa parte do que você escreveu, esse livro parece se tratar de algo meio bobo e fútil. Que me desculpem os fãs, mas é seguindo pessoas assim que a juventude está se tornando o que é.

    Só uma coisinha, sei que teu blog não trata sobre nada relacionado com política e economia, mas como estudante de ADM, com bons professores de economia que tive até agora, sei que o capitalismo não é de todo ruim, da mesma forma como o socialismo. Só minha opinião. Então acho que o Brasil não é um país capitalista. Não podemos generalizar. O que existem são pessoas oportunistas que fazem sua fama contando histórias que não são "o bixo" e acabam tendo a sorte de tornarem-se famosos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leti, sua malvada!
      sHAIshuiAHsuihas
      Tô imaginando vc gargalhando da minha frustração. Miga, sua loka! Deveria ter lido o livro também... aí eu queria ver vc rir! Kkkkkkkkkkk

      Nesse caso, vou mudar minha fala: as editoras brasileiras estão cada vez mais capitalistas. Se formos parar pra pensar, nosso querido Brasil Varonil talvez não seja tão capitalista assim... mas editoras são. E muito! Rs

      Saudades de te ver por aqui!

      Beijos!

      Excluir
  16. Bem, está aí um livro que eu não tinha e continuei não tendo a minima vontade de ler. Uma pena que a Kéfera não deixou o livro com uma pegada mais "auto-ajuda", porque seria bem legal, considerando a visibilidade incrível que ela tem.
    Mas enfim, como você disse, gosto é igual bumbum.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um bocadinho de auto ajuda não faz mal a ninguém, né? Ket? Aiaia...

      Beijos

      Excluir
  17. Fabii, que bom que vc sobreviveu. Também não gostei muito, mas tem gente que gosta ne.
    O livro é tão mais ou menos que eu nem lembro das histórias (e olha q eu li faz pouco tempo)
    Mas enfim, parte pra outra pra esquecer logo hehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu o li outro dia e só me lembro dela falar que o intestino dela vive pregando peças bizarras nela... e só me lembro disso pq o meu é bem parecido!
      sHAIshUAHsiuAs

      Beijos

      Excluir
  18. Faz sucesso por ter um público de jovens que comprariam papel higiênico se tivesse o rosto desses youtubers.
    Isso é o que resulta ter que escrever sobre a vida quando não se viveu nada significativo e que mereça ser contado, li uma crítica feita sobre a Bienal que é a mais pura verdade, o mercado foca apenas nas vendas e se esquece da qualidade.
    Faltou conteúdo, algo que realmente fizesse a leitura valer a pena, realmente já saiu outro dela e vai ter novos de mais uma leva, enquanto tem autores incríveis penando pra vender um exemplar publicado independentemente, é uma leitura que nem obrigado faria, ótima resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até fazer a TAG eu dizia a mesma coisa, Galan! Gente, coisa de outro mundo ler algo tão raso assim... acho que foi o maior sacrifício que já fiz pelo blog! E concordo com o que vc disse em número, gênero e grau!

      Beijos

      Excluir
  19. Oi Fabíola
    Seu exatamente o que você deve ter sentido ao fazer a resenha, é muito chato quando não nos identificamos com uma obra, pois é mai fácil elogiar que apontar defeitos, e como você foi bem clara no inicio, o que não é bom para uns pode ser ótimo para outros e todas as obras sempre tem o seu valor. Não é o tipo de leitura que me chama atenção, por isso não iria ler de qualquer maneira.
    Abraços,
    Gisela
    Ler para Divertir
    Participe do Top Comentarista de Setembro, serão 3 ganhadores e você ainda pode ganhar um livro a sua escolha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gisela, ainda bem que todo mundo aqui entendeu o meu ponto de vista e, principalmente, foram gentis e respeitaram a minha opinião. Sabe, ler esse livro foi o maior sacrifício que já fiz pelo blog, viu... rs!
      Tem que amar demais pra poder se dispor a ler algo tão diferente do que gosto! Hahaha...

      Beijos!

      Excluir
  20. Oi Fabi!
    Adorei sua resenha e, apesar de não ter lido (e nem pretendo), concordo com tudo que você escreveu. Mas o pior de tudo é saber que esse tipo de leitura, tem um seguimento de leitores jovens, muito grande. E ver o quanto esses jovens perdem seu tempo com livros como esse e ficam fascinados com esses "autores", enquanto poderiam estar crescendo culturalmente, é triste. Mas parece que é a realidade. Felizmente, percebe-se que, todos que comentaram, tem um amadurecimento cultural muito bom e sabem distinguir muito bem uma boa leitura, de algo vazio. Mas, assim como você, claro que respeito a opinião e o gosto de cada um. Obrigada por suas palavras, resenhas sinceras, me conquistam. Beijos, flor.

    ResponderExcluir
  21. Amei sua resenha, sua sinceridade e simplesmente amei a forma com que você abordou esse livro, eu não gosto nem de longe dessa moça, não gosto da forma com que uma pessoa que diz ter sofrido tanto bulling critica e fala mal de algumas pessoas "à margem" da sociedade crítica e elitizada. Não acredito mesmo que se possa aprender nada mais do que o mundo é capitalista e que vender livros é o foco e não vender boas leituras! Bom só posso dizer que concordo com você em número, gênero e grau!

    ResponderExcluir
  22. Oie! Sua resenha é ótima! Uma pena eu não em interessar por esse gênero, espero um dia me interessar por alguma obra relacionada...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  23. gosto dos videos da keferera mas não senti tanta vontade de ler o livro.... agora entao depois daquele que te falei da menina de 15 anos.... vai ser meio dificil eu me arriscar de novo... e com o que vc falou entao... vontade zero de ler....mas os videos são bacanas

    ResponderExcluir
  24. Eu vi o vídeo da Roleta Russa, sabia que não seria uma boa leitura. Nunca tive vontade de ler esse livro, ao ler este post, fiquei com menos vontade ainda! Livros rasos me cansam, quero emoção! hahaha

    ResponderExcluir
  25. essa modinha dos livros de youtubers é meio complicado, não vamos colocar todos no mesmo saco, talvez tenha alguns que se salvem (como eu não acompanho mas já vi alguns que aproveitam para passar alguma mensagem)
    mas sério oq ela fez de importante?
    como uma pessoa assim tem que ter uma "biografia"?

    ResponderExcluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo