Menu em imagem

Image Map

28 julho 2016

~ Colônia de férias LL e PPP - Entrevista com M V Garcia ~

Oi oi pipow!
Como estão?

Hoje o PPP vai ser palco de uma entrevista super bacana feita pela Bia. Ela entrevistou a autora M V Garcia, a criadora da série A chama da esperança, enquanto ela relaxava em uma de nossas acomodações aqui da colônia!

A Bia mandou super bem, gente! Espia!

O Lua Literária e o blog Pausa para Pitacos têm o prazer de receber em nossa colônia de férias a autora M V Garcia.
Nossa colônia está bombando, e enquanto a autora relaxava em nosso chalé vip, aproveitamos para bater um papo sobre seu trabalho. E ainda recebemos outros convidados muito especiais, direto de Yuan. 

M V Garcia é autora da série A Chama da Esperança. O primeiro livro, A Princesa Renegada, foi publicado pela Editora Arwen. O segundo, A Luz da Redenção, pelo Clube de Autores. A série recebe comentários positivos, e é muito bem avaliada no skoob. A autora também é conhecida pelo pseudônimo Hidaru. Apaixonada por livros, viodegames de RPG, animes e mangás; gosta de escrever histórias, textos e fanfics sobre a cultura nerd. M V Garcia é formada em artes visuais. Atualmente cursa pedagogia e reside no interior do Rio de Janeiro.
Você vai gostar de ler:



Bia: Começo minha entrevista já fazendo a pergunta que deve estar cansada em ouvir: qual foi sua inspiração para a criação da série A Chama da Esperança?
M V Garcia: (risos) Sem problemas, Bia! Essa é uma pergunta importante, até para o leitor “saber para onde está indo”, quando começar a ler. Eu sou fã de animes e mangás, e também de jogos de RPG (role playing game), principalmente os com cenários de fantasia medieval: guerreiros, espadas, magos, castelos... Sempre quis escrever um livro que mesclasse tudo isso e assim o Chama nasceu.


Bia: Escrever fantasia não deve ser fácil. Você precisa fazer com que o leitor se conecte a um universo que existe apenas em sua mente. Como foi o desenvolver do mundo de Yuan?
M V Garcia: Eu sempre gostei desse tipo de literatura, desde os mais clássicos como Tolkien até os mais modernos. A parte do desenvolvimento de mundos sempre me chamou atenção. A ideia de criar um mundo novo, único, livre para você interferir como quiser sempre me pareceu fascinante. Então a partir dos livros que eu lia e dos jogos que eu jogava (cada jogo de RPG é um mundo único) já dava pra ter uma ideia de como começar. Yuan no início era um mundo sem nome: era apenas o lugar onde se passava a história, e conforme fui criando-a, imaginando desde os locais por onde Kaira passaria, até o contexto político-social de Willford e a República, tudo foi se formando aos poucos. Ainda tem muitos locais e regiões desse mundo que imaginei, mas não explorei nestes dois livros (quem sabe num terceiro livro?). O nome Yuan é um anagrama com os nome dos dois deuses que, na mitologia da história, criaram esse mundo: YU Shang e MinNA Yu.

Bia: A série é indicada para um público muito amplo, jovens e adultos. E uma característica que deixei evidente em minhas resenhas, foi a forma em que tratou a “morte”. Levando como base a animação Dragon Ball, considero que em animes e mangás o assunto é abordado de forma natural, ficando compreensível para o leitor/telespectador, o “processo” de morte do personagem. No primeiro livro, eu não sofri tanto com a morte de alguns dos personagens, já no segundo, algumas perdas ficaram incompreensíveis para mim. Ressalto que deveria ter lido e assistido mais animes quando criança, quem sabe entenderia esse fim que todos nós teremos um dia (risos), mas, como é para você dar esse desfecho a um personagem? É algo que ocorre naturalmente, ou desde o seu surgimento você já tem o destino traçado?

M V Garcia: Eu sei qual morte em específico você está falando (risos). Uma coisa que escutei uma vez, como uma dica para escritores (infelizmente não me lembro a fonte agora), é que, uma “boa morte” numa história é aquela que, se ela NÃO existisse, a história tomaria um rumo totalmente diferente. Ou seja, ela tem que ser absolutamente necessária para o andamento da história. Se não, é uma morte dispensável. Muitos autores são assassinos em massa (risos), talvez como uma forma de chocar o público. Pessoalmente falando, como autora eu só acho válido matar personagens se seguir o que falei acima. E a morte em questão foi necessária, primeiro para o andamento da história, e outra por que há um significado por trás (se eu disser mais detalhes sobre isso aqui seria um spoiler, mas a Bia sabe o que é risos). 
Outra mensagem que também desejo passar na história é sobre a questão da reação dos demais personagens diante da morte. Sabemos que a morte é inevitável, mas sempre estamos despreparados diante dela. A Chama da Esperança é uma história sobre guerra, então, os personagens estão constantemente diante da morte. Mas eles precisam ser fortes e continuar lutando, mesmo após perder entes queridos, porque se não o fizerem, a guerra continuará e ainda mais pessoas podem morrer. Então, eles precisam arranjar forças, mesmo diante de tanta tragédia, em nome de uma causa maior.

Bia: A protagonista Kaira foi uma personagem muito bem construída. É cativante e forte. Apesar de todo o poder que tem em mãos, Kaira não deixa de ser uma menina, inclusive tem seus momentos de imaturidade. Qual sua intenção em fazer de Kaira a grande heroína da sua série?
M V Garcia: Eu gosto muito de personagens que começam imaturos, e diante das dificuldades que surgem, vão crescendo, amadurecendo, se tornando mais fortes junto com o leitor, que acompanha a história. Harry Potter e Dragon Ball são bons exemplos, os leitores literalmente cresceram junto com os personagens ao longo dos anos em que ambos eram publicados. E a Kaira é minha personagem assim. Outros personagens, como a Yukiko, também crescem durante a história, mas a Kaira é a que cria um vínculo mais forte com os leitores. Gosto de heróis e heroínas assim, justamente porque o leitor se identifica com eles. 

Bia: Hawk, apesar de odiar a raça de Kaira, me conquistou desde sua primeira aparição. A atmosfera em sua volta é diferente. Como foi a construção desse personagem?
M V Garcia: Hawk é talvez o personagem mais complexo do livro. Ele é o exato oposto da Kaira: enquanto ela é a personagem mais fácil de se ler, Hawk é o mais difícil. É difícil saber o que ele está pensando. Então o processo de apresentá-lo aos leitores foi mais lento. As motivações dele foram surgindo aos poucos. Por isso, muitos o consideram um vilão clássico, logo no primeiro livro. Eu gostei muito de escrever o segundo livro justamente por que ali aparecem as outras facetas de Hawk. No final, o mistério em torno dele também ajudou muitos leitores a se sentirem atraídos por ele, no sentido de querer desvendar quais seriam suas verdadeiras motivações. Mas reconheço que ele é um personagem extremo: tem leitor que ama, e leitor que odeia (risos). Gosto de ver a reação dos leitores em relação a ele.

Bia: Existe uma grande história por trás de Hawk, que iremos saber somente no segundo livro. Você já tinha em mente todo o destino do personagem desde o primeiro livro?

M V Garcia: Sim. O destino de todos ali já estava traçado desde muito antes do primeiro livro, até. Eu demorei quase dez anos idealizando a história na cabeça antes de começar a escrever, então isso facilitou o processo de escrita.

Bia: A série conta com um ArtBook, que trás ilustrações e curiosidades a respeito. Fale um pouco sobre ele.

M V Garcia: O artbook foi um brinde dos primeiros compradores do segundo volume da série, A Luz da Redenção. Ele traz ilustrações exclusivas (eu mesma desenho a maior parte das artes da série), além de curiosidades e histórias sobre a produção da série, e também sobre o mundo de Yuan. Foi uma forma de apresentar aos leitores mais sobre esse mundo, que é bem vasto, e que não pude explorar todo nos dois livros. A Bia em breve vai receber o dela (risos).

Bia: A Luz da Redenção fecha, por assim dizer, o ciclo Kaira. Mas, nós, fãs da série, ainda desejamos mais do mundo de Yuan. Há novos projetos para a série?

M V Garcia: No momento ainda estou às voltas com a divulgação da série A Chama da Esperança e com outros projetos pessoais, então, não estou escrevendo no momento. Mas Yuan ainda existe na minha cabeça e ainda esconde muitas histórias. Penso em novas histórias, que iriam se passar neste mesmo mundo (em outras regiões que não apareceram nos dois livros), e também, num livro prólogo, contando como começaram os eventos narrados em A Chama da Esperança. Mas por ora as ideias ainda estão cozinhando na minha mente (risos).

Bia: Conte para nós os planos para seu futuro enquanto escritora.

M V Garcia: Como dito acima, por ora só estou imaginando histórias. A publicação pela Editora Arwen foi um sonho realizado, mas ainda quero explorar novas plataformas, principalmente as digitais. O Wattpad ainda é novidade pra mim, bem como a Amazon. Espero poder realizar projetos nestas plataformas no futuro.

Bia: Quero fazer um grande pedido. Para os leitores que ainda não conhecem a série, eu gostaria muito que os personagens Kaira, Hawk e algum membro dos Falcões Negros a apresentassem. Será que é possível recebe-los aqui no blog?

M V Garcia: Mas é claro! Só um minuto...

Kaira: Olá a todos! Kaira falando aqui! A autora nos chamou para apresentarmos a vocês esta incrível série chamada A Chama da Esperança! Pra isso trouxemos os convidados...

Hawk: ........ (silêncio)

Nemesis: ........... (silêncio)

Kaira: Hã.... Ok. A série conta a história de humanos e feiticeiros, que entraram em guerra há 15 anos. Atualmente, os humanos vivem no reino de Willford, e os feiticeiros vivem na República. Os dois reinos estavam em paz, até que...

Hawk:...Os feiticeiros atacaram covardemente nosso território.

Kaira: Não foi nossa culpa! Mas, bem, por causa disso a guerra recomeçou entre os reinos. Mas ninguém sabe que os reais culpados...

Nemesis: Culpados não; responsáveis. Nós, os Falcões Negros, seremos os responsáveis por trazer a justiça a estas terras, acabando para sempre com o reino dos humanos...

Kaira: Destruir o reino dos humanos não é justiça!

Hawk: Malditos feiticeiros, jamais vamos permitir isso!

Kaira: Eu já disse que a culpa também não é dos feiticeiros! H-hm, mas bem... pra saber como essa história continua, você vai ter que começar a ler. Você pode adquirir a Parte I – A Chama da Esperança, no site da Editora Arwen ou direto com a autora, pela página do Facebook (@achamadaesperanca). 
E a Parte II – A Luz da Redenção, você encontra em formato e-book pela Amazon, e no formato impresso pelo Clube dos Autores.
Nós e a autora agradecemos muito à Bia do Lua Literária por nos convidar a vir aqui no blog! E aguardamos todos vocês no mundo de Yuan! Que os Deuses protejam vocês!

Acessem: Fanpage | Clube de Autores | Amazon | Arwen 


Nós agradecemos muito a participação da autora, e desejamos muito sucesso. Ela é uma graça de pessoa, seus livros, além de conterem uma história original, tem edições incríveis. A autora capricha em tudo que faz, não deixem de visitar a fanpage, tem confecções incríveis dos personagens.
Lembrando que você tem a chance de adquirir o primeiro livro da série, ele está no kit promocional da nossa colônia de férias. 


Que delícia de entrevista, hein?
Num falei que a Bia arrasou?

Bem, agora é hora do nosso joguinho!
Chega de moleza! Hehehe...



Dica: Imprimir essa imagem irá ajudar muito! E, assim como no caça palavras, abrir a imagem no paint, photoscape ou photoshop também ajuda!
Os espertões de plantão logo vão perceber a sacada dessa cruzadinha... espero que só tenha espertão aqui, rs.

Não deixe de anotar todas as respostas com bastante atenção, pois é preciso enviá-las para o e-mail bloglualiteraria@gmail.com no dia 31/07. O próximo jogo vai rolar amanhã lá no Lua Literária, fiquem ligados, hein?

Nos vemos amanhã, pipow!
Super beijo!

38 comentários:

  1. Olá....

    Que entrevista incrível!!! Adorei conhecer um pouco mais da série... Estou super curiosa para ler!!! Que colônia de férias mais gostosa.... Está tudo de bom!!!
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai fico feliz por vc estar gostando da nossa colônia, Cris! A entrevista ficou super bacana mesmo, né?
      Eu ainda não li os livros, mas pretendo ler em breve!
      Bora ler? Hahha

      Beijos

      Excluir
  2. Fabiii Não consigo de forma alguma seguir o blog da Lua Literária, já tentei milhões de vezes e nada. Vou perder novamente essa promoção. Já estava tudo pronto aqui pra mandar o email. Já fiz de tudo. Vou chorar aquiii.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh! Não estou acompanhando o blog, pois minha vida está de cabeça pra baixo. Sorry. Volto em breve. Bjinhos amore.

      Excluir
    2. Andlas, reinicia o celular e tenta de novo... visualize o blog através da visualização para web, acho que assim vai dar!
      E eu espero que vc coloque tudo nos eixos rapidinho e volte a nos visitar com frequência! Saudades de vc, serumaninha!

      BEijos!

      Excluir
    3. Fabii amore, já fiz de tudo! Nada dá certo! Não aparece de forma alguma a caixinha de seguir. 😢Vou voltar sim. Estou morrendo de saudades de seu blog! Bjinhos. Acho que vou desistir de participar dessa promoção. Kkk

      Excluir
  3. eu adoro entrevistas com autores é sempre legal acompanhar o processo de criação
    um artbook que legal
    tudo bem q o desenho da capa p mim é a sailor moon...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari, tb acho a mocinha parecida com a Sailor Moon! Acho que por isso que adorei tanto! shUIAHsas
      Eu tb adoro entrevistas, acho que conhecer um pouquinho do processo de criação deixa o livro ainda mais interessante!

      Beijos

      Excluir
  4. Oi oi :)
    Que entrevista bacana! Bem legal ver que mais e mais autores brasileiros estão ganhando espaço nos corações dos leitores <3
    Os livros da escritora tem jeito de serem incríveis! É a qualidade nacional! Adorei :D muito sucesso pra M V Garcia.
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já já nossos escritores vão ganhar o mundo, Bethe! Imagina... eles indo para as "Bienais Gringas" e sendo aclamados pelos fãs... é um sonho realizado! Rs

      Beijos

      Excluir
  5. Como gosto de conhecer nessas entrevistas com autores, sobre o processo de escrita, quais foram suas inspirações. Ainda não conhecia o livro dela, e após ler um pouco mais sobre ele, fiquei bastante curiosa para conhecer mais sobre a história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história é super chamativa mesmo, né? Diferente do que vemos por ai... e após conhecer o nascimento das ideias, ela fica ainda melhor! Hehehe

      Beijos, Lana!

      Excluir
  6. Oi Fabi! Adorei a entrevista!
    Foi muito legal descobrir como a autora criou essa série e como os personagens foram construídos. Eu não conhecia o trabalho dela, mas já fiquei muito curiosa pela leitura dos seus livros :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom demais ver o crescimento de cada detalhezinho da história, né Anna? Adoro entrevistas por isso, rs!

      Beijos

      Excluir
  7. Que entrevista incrível! Me interessei por completo nessa história! Aamei! Que autora sensacional, pareceu ser tão simpática <3 Ai quero!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também a achei super simpática, Carlinha! Dá vontade de ficar batendo papo com ela por horas e horas, num dá? Rsrsr

      Beijos

      Excluir
  8. Oi Fabi!! Nossa colônia está arrasando, quantos convidados vips incríveis que recebemos hahaha.
    Adorando tudo ♥
    Beijos
    http://lua-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente ta chique demais, Bia! Só visita ilustre... hahaha

      Beijos

      Excluir
  9. Adoreeeei conhecer a autora! Uma fofa!!!! Doida pra ler as obras dla!
    Aaaain cada vez mais difícil as povinhas heim....Vamos lá né!
    Bjs!Parabéns pela entrevista Bia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline, ela é fofa demais, num é? Dá vontade de bater papo com ela o dia todo... rs!
      E eu to ficando malvada, né? kkkkkkkkkk
      Imagina se eu fosse professora? Coitadinhos dos meus alunos... hahahah

      Beijos

      Excluir
  10. Não curto muito animes e mangás, mas também nunca tive muito contato, então não posso julgar. E agora acho mais do que justo eu ganhar o prêmio da colônia pra conhecer esse estilo com o "A chama da esperança" hehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkk
      Quem num chora num mama, ne Crissie? rsrsr
      Então, se esforça pra ganhar pra poder conhecer! Sinceramente acho que vc vai curtir! É uma viagem ao passado... hahah

      Beijos

      Excluir
  11. Oi.
    Que legal essa entrevista! A autora é uma fofa! Ainda não tive o prazer de ler seus livros, mas tenho certeza que serão sucesso! Hum, já vi que essa Colônia está bombando! Parabéns. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Márcia, fofura sem fim essa autora, né? Adorei! Fiquei fã sem nem ter lido o livro... rs

      Beijos

      Excluir
  12. Ainda não conhecia a autora e seus livros,mas a entrevista me deixou bem interessada em suas obras ; quem sabe quando né sobrar um tempinho livre eu não invisto em algum de seus livros?!




    www.emcadapágina.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero qeu sobre e que vc possa conhecê-la ainda melhor, Dani!

      Beijos

      Excluir
  13. Oi Fabi,
    Gostei muito da entrevista mas acho que o livro não faz muito meu estilo. Achei divertida a parte em que os personagens apresentam a série, haha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficou uma gracinha, né? Rs
      Confesso que não faz meu gênero tb... mas acho que eu daria uma oportunidade! Quem sabe ele não aparece aqui no PPP?

      Beijos

      Excluir
  14. Oi Fabiola.
    Adorei a entrevista com a autora! É sempre interessante conhecer um pouco mais sobre autores, sobre seu processo de criação sobre o enredo e dos personagens. Adorei as ilustrações dos personagens. Já deu para notar que Kaira é mais falante rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coisa de menina ser mais falante, né? shIAhsiHAs
      E adorei os personagens tb, são uma fofura que só!

      Beijos

      Excluir
  15. Já disse que estou com saudades?? Tô com saudades Fabiiii 😢
    Mas ainda assim sempre que dá dou uma passadinha aqui. Tô amando esses posts da colônia de férias. Gostei muito dessa entrevista, gostei dos personagens e do modo como a autora fala sobre o livro. Espero um dia poder ler o livro e que seja tão bom quanto eu estou imaginando.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Allehhhhhh!!!
      Quando vc some as coisas são diferentes... não faça isso mais!
      Ainda bem que vc arrumou um jeitinho e passar por aqui...
      Saudades!

      Beijos

      Excluir
  16. Adorei a entrevista porque assim ficamos mais próximos do autor (aqui autora), e entendemos mais sobre o que ela quis dizer com os personagens e se montamos de maneira mais correta a história em nossa mente. Adoro RPG, e com certeza vou adorar esse livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adoro poder saber mais sobre o processo de criação tb, Adriana! Acho que ficamos próximos não só do autor como dos personagens tb!

      Beijos

      Excluir
  17. Muito bacana conhecer um pouco do processo de escrita de um autor!
    Ela conseguiu criar um mundo novo, acho isso fantástico!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela teve uma imaginação e tanto, né Thuanne!?
      Adorei!

      Beijos

      Excluir
  18. Oi!
    Já tinha lido a sinopse do livro da M V Garcia e acho a historia bem interessante, gosto muito das entrevistas com os autores pois acaba nos mostrando a visão deles sobre o livro e gostei muito da cruzadinha !!

    ResponderExcluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo