Menu em imagem

Image Map

11 abril 2016

{Senta que lá vem história!} ~ A árvore das almas ~

Ois, pipow!
          Como estão?
Todos bem, eu espero!
Prontos para o conto de hoje? Ele chegou na hora certa, hein... pouco mais de 23hrs... boa hora para uma pitadinha de suspense e terror na vida, haha!

Puxe uma cadeira para se sentar, ou se aconchegue no sofá ou até mesmo deite-se em sua cama, pois hoje eu trouxe uma história das boas!

Trata-se de uma lenda urbana daqui de Minas Gerais. E, já adianto, ela pode lhe deixar com alguns cabelinhos em pé!

A árvore das almas

Essa é uma lenda urbana muito antiga, perdida no tempo que uma senhora  me contou quando eu ainda era pequena, e espero que gostem. 
Por volta de 1845, em uma cidadezinha do interior de Minas Gerais, havia uma lenda sobre uma árvore de almas. Tal árvore ficava em um bosque atrás da cidade, e ela era enorme e oca. Acreditava-se que ela abrigava centenas de almas de mulheres as quais a origem é desconhecida. Acreditava-se também que elas eram as guardiãs da cidade, mantinham os maus espíritos longe e ajudavam a cidade a prosperar.
Uma vez por ano, na sexta-feira santa, à meia-noite, elas saíam da árvore para uma procissão pela cidade. Caminham por todas as ruas da cidade, cada uma com sua vela na mão dando a sua benção. 
Os moradores, por sua vez, em respeito às mulheres, deveriam ficar dentro de casa, com as janelas e cortinas fechadas até que a procissão acabasse.
Em uma dessas procissões, uma garota da cidade resolveu olhar pela janela. Ela ficou maravilhada, centenas de mulheres vestidas de branco, com uma vela grande na mão, recitando algo que não se podia ouvir. Ela notou que as mulheres não eram seres comuns, pois seus corpos eram meio transparentes e luminosos.
Maravilhada com o que vira, ela abriu a sua janela e saltou e foi seguindo as mulheres. Quando a procissão terminou, as mulheres voltaram para o bosque. A garota hesitou um pouco em segui-las, mas pensou que se já foi tão longe, era melhor ir até a árvore.
De longe e atrás de uns arbustos ela avistou a árvore, e as mulheres foram entrando nela e desaparecendo. A última mulher da fila parou antes de entrar, virou-se para a garota, olhou-a nos olhos e começou a andar em sua direção. A garota por alguma razão não sentiu medo e esperou o fantasma se aproximar.
A mulher lhe estendeu a vela e disse, sorrindo:
- Um presente por sua coragem.
- Obrigada! - respondeu a garota sem reação.
A mulher voltou para a árvore, antes de entrar, olhou a garota novamente e desapareceu.
Quando a garota olhou novamente para a vela, ela havia se transformado em um fêmur.
Assustada, ela correu para casa e contou o que havia acontecido aos pais. Seus pais, muito preocupados, a mandaram de volta ao bosque e disseram que ela deveria enterrar o fêmur debaixo da árvore, pois eles não queriam um osso humano em casa.
A menina foi vista pela última vez entrando no bosque. Suas pegadas podiam ser vistas até a árvore, mas ali ela não estava. Diz a lenda que a garota pode ser vista durante a procissão. Ela vai levando a sua vela, no último lugar da fila das mulheres fantasmas.



E aí, curtiram? Eu espero que sim!
Essa lenda é bem conhecida nas cidades do interior daqui, já a ouvi diversas vezes e foi uma alegria encontrá-la na internet, afinal, eu não me lembrava de tantos detalhes.

Um conselho? Leia à noite...


Beijos doces! 
E nos vemos amanhã.




45 comentários:

  1. Ok deu um medinho ler isso a essa hora da noite rsrsrs. O que eu mais gosto em lendas urbanas é imaginar de onde elas surgiram, como começaram a ser espalhadas, tudo deve se basear em algo no mínimo real, então qual seria o ponto entre a realidade e a lenda? O que se passava na cabeça das pessoas? Sempre penso esse tipo de coisa.
    Se me contassem uma coisa dessas quando eu era pequena ia ficar uma semana sem dormir rsrsr, medrosa desde novinha. Adorei essa lenda Fabi. E como sempre sigo os conselhos li essa deitada e sozinha pra dar um clima :)
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa coisa de imaginar de onde veio tal história sempre me deixa com a pulga atrás da orelha tb, Alleh! Afinal, essas lendas normalmente não são infundadas, pelo menos não ao meu ver!
      Eu adoro o assunto e vou trazer mais lendas pra vocês, com certeza!

      Beijos!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Bom, aqui e 00:23 e é um ótimo horário para uma história!! Kkk! Me fez lembrar de um episódio de Supernatural!! Adorei Fabi!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andlas, Supernatural deve ter sido influenciado por tantas lendas bacanas né? POr isso que adooooro essa série! Hahha


      Beijos

      Excluir
  4. love it!!!
    haha eu não li a noite e não conhecia a lenda, mas achei incrível e meio arrepiante !


    ❥Blog:Gordices Literárias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensar que essas coisas podem ter sido reais é que dá um certo medinho, né?

      Beijos!

      Excluir
  5. Oi, Fabi!
    Essa história bateu medo hein? Ainda bem que o sol tá raiando lá fora.
    A minha cidade é cheia de lenda urbana, como uma carruagem que é puxada por cavalos com cabeça de fogo e uma mulher que foi bem malvada durante a vida (ela realmente viveu e descobri que é uma parenta antiiiiigaaaa).
    Beijos
    Balaio de Babados
    Porcelana - Financiamento Coletivo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sabia que vc tinha um pezinho no horror, LU!
      shIAUhsuiHAs
      Uma parenta que é protagonista de lenda... Que tudo isso!
      Aqui em Minas tem tanta lenda que renderia história pra muito post, viu!
      Vou trazer mais algumas pra mostrar que esse povo daqui adora um causo de assustar... rs

      Beijos

      Excluir
  6. Ler à noite, que conselho hein Fabi hehehe
    Não conhecia essa lenda, mas adorei! O ruim é que sempre fica aquela vontade de saber o que vem depois, o que aconteceu de verdade, mas acho que a ideia é realmente aguçar a curiosidade e imaginação mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reza a lenda que se conselho fosse bom a gente num dava, vendia, né? Então... sHIAhsUIHAsas
      Eu adoro imaginar esse tipo de coisa. O que rolou depois, de onde veio a lenda - tendo em vista que, para esse povo (e pra mim) elas não são totalmente infundadas... é demais!
      Imaginação dá voltas e mais voltas!

      Beijos

      Excluir
  7. so digo uma coisa... ainda bem que li de dia hahahhahahahahhahhaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Medrosa!
      sHaihsHUISHAs
      Não vá dormir de luzes acessas, hein... ahahha

      Beijos

      Excluir
    2. hahuahuhauhauhauhuha agora mamae ta em casaaa

      Excluir
  8. Oii Fabi!

    Aii que saudade dessas lendas urbanas que a gente escuta desde criança. Nossa, voltei no tempo agora... lá no Sul tem muita história assim ans cidades do interior. Amei, amei e amei a lenda! Se houver mais histórias assim, traz pra gente, super gostoso de lembrar
    Ótima ideia

    Beijos

    naprateleiradealice.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz por ter gostado, Alice! Realmente a gente volta no tempo... naquelas historinhas contadas pelos nossos avós e por aí vai. Pretendo trazer mais algumas, sim. Aqui em Minas tem muitas lendas bacanas!

      Beijos

      Excluir
  9. que pena que li de dia,não senti nada!!!
    A próxima eu deixo para ler a noite!!!!
    mais amei esta ideia de contar lendas aqui!!!
    Amandoooo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha...
      A lenda nem é tao assustadora, Kakau! Acho que ler à noite nem faria diferença tb! Hahaha
      O bacana é a história por trás de uma lenda dessas, afinal, o povo acredita piamente nelas. E pensar de onde elas vêm também é bem bacana!


      Beijos

      Excluir
    2. sempre o que me deixa encabulada é pensar como elas surgem sabe??!!!!
      Meus Deus já pensou isso de verdade???

      Excluir
    3. É exatamente essa a graça, Kakau!
      Principalmente quando se trata de lendas. É difícil imaginar que elas sejas infundadas... afinal, de onde vei tal história, né? Eu adoooro! Rs...

      Beijos

      Excluir
  10. A Cultura é muito rica mesmo, em diversos lugares existem lendas urbanas, uma melhor que a outra!

    Na minha família temos a nossa lenda... temos uma chácara onde minha mãe foi criada na infância, e que até hoje rende bons passeios em finais de semana. Quando eu era criança e posava lá com minha avó e alguns primos, ela contava da dama de vermelho que perambulava pelo potreiro nas noites de lua cheia... ela deixava os netos morrendo de medo e depois se escondia na rua com uma toalha vermelha enrolada pra assustar a gente! Que saudade da infância. E saudade da vó também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na minha família também tem uma lenda, Let!
      Meu avós têm uma fazenda que é até patrimônio histórico, sabe. Se chama Café Roxo. Eles faleceram, e hoje quem cuida dela é um tio.
      Então. Essa fazenda é dos tempos dos escravos, e as telhas dela foram feitas por eles, usando suas coxas como molde. Colocava o barro na coxa pra moldar e depois colocava pra secar. Embaixo de uma das casas ficava uma das senzalas, onde esses escravos do telhado ficavam... e meus tios contam que até hoje, à noite, podemos ouvir os gemidos e o choro deles...
      Isso me apavorava! sHAIUshiuAh

      Saudade daquele tempo!

      Beijos

      Excluir
    2. Nossa, tua lenda tem mais motivos para dar medo!

      Excluir
    3. Realmente! E eu dava o maior xilique do mundo pra não dormir dentro da casa. Uma vez saí correndo no meio da noite e dormi no pomar... kkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  11. Oie
    Sinistro isso...espero que todos aí durmam cedo na sexta feira santa. Afinal sabemos que nada é impossível quando alguém passa a acreditar com afinco. Digo isso lembrando o quanto senti medo das brincadeiras que fazíamos no tempo da escola. Hshasuhdsuha crianças se impressionam muito. Há blood marry três vezes depois de puxar a descarga três vezes...e olhar no espelho, deixa qualquer um com receio e pesadelos. Kkkk

    Bjos
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe o que é engraçado, Elis? É meio que uma rotina sagrada dormir cedo na sexta-feira Santa aqui em Minas! Rs...
      Dá saudade demais da infância, né? Brincadeira do copo... da descarga... A loia do cemitério....
      kkkkkkkkkkkkkkkk
      Aiai

      Beijos

      Excluir
  12. Adoro lendas urbanas, essa foi das boas!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também adoro, Camila!
      E tô feliz por todos terem gostado!

      Beijos

      Excluir
  13. Adoro lendas urbanas, essa foi das boas!!

    ResponderExcluir
  14. Oi Fabi!! Meu avô é mineiro e sempre me conta muitas lendas urbanas de Minas, que ele jura ser verdadeiras. A da árvore ele nunca contou, mas da procissão do dia de todos os santos, que a meia noite não podia olhar na janela e tal; já é bem conhecida em casa rsrsrs.
    Adorei essa história, e sinto que vai amar "O Bairro da Cripta" hahahaha
    Beeijos
    lua-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bia, os mais velhos aqui em Minas tem tanto causo bom pra contar que daria posts eternos no blog!
      Essa história minha avó contava pra gente pra nos fazer dormir cedo no feriado... kkkkkkkkkkkk
      E eu não vejo a hora de lê-lo! Ansiedade define!

      Beijos

      Excluir
  15. Nossa amei lê essa lenda. É bem minha cara que ama filmes de terror e curto lê sobre esses assuntos. Tai uma lenda urbana que não conhecia ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também adoro terror e lendas, Gleissianne!
      Acho que vc vai gostar do que vai ver por aqui.. rs!

      Beijos

      Excluir
  16. Não conhecia o conto, adoro essas lendas urbanas cheias de suspense, gostei muito dessa, fiquei imaginando as cenas aqui na cabeça, oua! Não ia ter coragem de olhar pela janela nunquinha, imagina só sair de casa e ir até a arvore!! HAHAHAHA

    Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa terra tem as lendas mais bacanas de toda, Claris!
      É cada causo que eu tenho pra contar aqui... "Nossinhora!"
      hahahhaha

      Beijos

      Excluir
  17. Jesus, sou de Minas Gerais, nasci em uma cidade do interior e sou medrosa, kkkkk. Mas achei a lenda bem interessante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De onde vc é e onde mora hoje, Ket? Nossa terrinha tem tanta lenda boa.... nossa!
      shAIshuiAHs


      Beijos

      Excluir
  18. eu conhecia a história como sendo procissão das almas, tem até um curta, não é igual a essa, mas é bem parecida as almas saiam uma vez por ano para faze uma procissão
    eu adoro esses contos, pena que ninguém hoje em dia senta a noite para contar história de terror, pq era ia ser uma bem legal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho saudades da época em que a gente sentava pra contar essas histórias de terror, Mariana! Eu adorava dormir com medo depois daquelas histórias horripilantes, principalmente quando eu ia acampar! Rs...

      Beijos

      Excluir
  19. Gostei bastante dessa lenda urbana, adoro esses tipos de história, fico aguardando a próxima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, fico feliz demais por todos estarem gostando! Hehehe


      Beijos

      Excluir
  20. Pronto, agora é só esperar ficar de madrugada e morrer de medo kkkkk, Fabi esses contos são ótimos, acho que eu tô começando a ficar corajosa pra histórias de terror, daqui uns dias eu crio coragem e leio uns livros de terror que quero ler!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que a coragem chegue logo, Ana! Livros de terror são coisas de outro mundo de tão bons!

      Beijos

      Excluir
  21. Gente, que conselho é esse? kkkkkkkkkkkk
    Ainda bem que eu não li esse post tão tarde da noite!
    E essa garota é corajosa viu? Nunca na minha vida que eu ia seguir aquelas mulheres, eu ia era sair correndo! kk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que ou eu sou muito burra ou sou corajosa demais, Cris! Pois eu iria atrás das moçoilas pra saber que que pega!
      Kkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Beijos

      Excluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo