Menu em imagem

Image Map

19 fevereiro 2016

{Resenha} ~ Dançando sobre cacos de vidro - Ka Hancock ~

Boa noite, pipow!
Como estão?

Dei uma sumidinha, né... então. Estou dodoizinha!
Estava me sentindo muito mal e acabei não conseguindo dar uma passadinha por aqui, mas já estou me sentindo melhor.

Demorei para aparecer, mas apareci trazendo algo extremamente especial.
Ontem eu acabei de ler Dançando sobre cacos de vidro, e ainda estou emocionada. Eu nunca chorei tanto ao ler um livro na vida! Superou o chororô de O caçador de pipas, de  A menina que roubava livros e tantos outros que me fizeram desidratar.

Vamos à resenha! Quem sabe assim vocês conseguem entender o meu drama? Rs.
Ah! Já sabem, né? Quando um livro mexe demais comigo, nem sempre a resenha tem muito nexo... kkkkkkk

Quando li: Fevereiro, 2016.
Título: Dançando sobre cacos de vidro
Autor(a): Ka Hancock
Editora: Arqueiro
Páginas: 329
Classificação: 
Onde comprar? Submarino | Americanas | Amazon
Sinopse: Lucy Houston e Mickey Chandler não deveriam se apaixonar. os dois sofrem de doenças genéticas: Lucy tem um histórico familiar de câncer de mama muito agressivo e Mickey, um grave transtorno bipolar. No entanto, quando seus caminhos se cruzam, é impossível negar a atração entre eles.
Contrariando a lógica que indicava que sua história não teria futuro, eles se casam e firmam - por escrito - um compromisso para fazer o relacionamento dar certo. Mickey promete tomar os remédios. Lucy promete não culpá-lo pelas coisas que ele não pode controlar. Mickey sempre será honesto. Lucy será paciente.
Como qualquer outra relação, eles têm dias bons e dias ruins - alguns terríveis. Depois que Lucy quase perde uma batalha contra o câncer, eles criam mais uma regra: nunca terão filhos, para não passa adiante sua herança genética.
Porém, em seu 11º aniversário de casamento, durante uma consulta de rotina, Lucy é surpreendida com uma notícia extraordinária, quase um milagre, que vai mudar tudo o que ela e Mickey haviam planejado. De uma hora para outra todas as regras são jogadas pela janela e eles terão que redescobrir o verdadeiro significado do amor.
Dançando sobre cacos de vidro é uma história de um amor inspirador que supera todos os obstáculos para se tornar possível.

Lucy nasceu em uma cidadezinha pacata e aconchegante, onde todo mundo conhece todo mundo, e esse fato nunca a incomodou - pelo contrário! A fez entender o que era uma família, já que perdeu seus pais tão cedo, e ela e suas irmãs Lily e Priss foram acolhidas pelos amigos como se fossem suas filhas. O pai de Lucy era policial. Um homem direito, que amava as filhas e a esposa acima de tudo. Mesmo tendo passado tão pouco tempo com o pai - ele fora morto quando ela tinha apenas cinco anos - ela aprendeu algo que levou consigo a vida inteira. Seu pai lhe ensinou sobre a morte. Lhe contou que ela não era feia, pelo contrário! Que ela era linda, serena e delicada. E lhe ensinou que morrer não dói, ah não! Morrer alivia a dor. Ensinou que a morte não é o fim. Jurou juradinho à sua filhinha curiosa, que absorvia tudo o que ele dizia como uma esponja. E, principalmente, ensinou que a morte não deve ser temida. Quando você não teme a morte, é possível esperar por ela e estarmos preparados.

Tudo isso parece um mero devaneio de um pai que tenta explicar uma das coisas mais inexplicáveis da vida para uma menininha de cinco anos, mas para Lucy - e também para mim - tal explicação fez muito sentido. Ela ajudou Lucy a enfrentar de frente a morte quando ela veio buscar seu pai, poucos dias depois desse esclarecimento. Ajudou-a a enfrentá-la mais uma vez, aos dezessete anos, quando sua mãe faleceu em decorrência de um câncer agressivo na mama. E lhe deu forças para aguentar o tranco quando ela mesma estava por um fio.

Passados os anos, Lucy se tornou a mais forte das três irmãs. Bondosa, dedicada e alegre ao extremo, estava sempre preocupada com todos à sua volta. Por essas e outras ela era a mulher perfeita para o imperfeito Mickey, um homem lindo, alto e galante que ela conheceu em sua festa de 21 anos. A atração foi imediata, mas mesmo após Lucy ter ousado dar seu telefone a ele, foi preciso um empurrãozinho do destino para que eles se vissem novamente.

Mickey é um cara bacana, mas problemático. Ele sofre de transtorno bipolar, uma doença mental grave que, se não for devidamente tratada, pode trazer sérios problemas ao portador da mesma e também a todos à sua volta. Mas Mickey, apesar de todos os pesares que acompanhamos na trama, fazia a sua parte. Ele se conhecia bem a ponto de saber quando estava prestes a pirar, e tal conhecimento o livrou de muitas enrascadas. Ele se apaixonou por Lucy no momento em que a viu em sua boate quando ela comemorava seu aniversário, mas sentiu que ele não a merecia, afinal, tantas outras vezes ele afastou mulheres boas de sua vida, pois elas não conseguiram suportar seus problemas. Mas Lucy era diferente, e ele veio a descobrir o porque depois que eles se encontraram por acaso no hospital. Ela estava acompanhando a irmã Priss que precisou fazer uma cirurgia. Ele era um paciente da ala psiquiátrica. E naquele dia, de madrugada, na lanchonete do hospital, comendo uma porção gigante de batatas fritas, Mickey abriu seu coração para Lucy, contou a ela todos os seus problemas e, ainda assim, o amor nasceu.

Nem sempre os relacionamentos são feitos somente de mares de rosas. Eles sempre têm um período em que os espinhos parecem sobressair às rosas. O relacionamento deles não era diferente. Aliás, era. Pois os espinhos não eram meros espinhos, eram cacos de vidro, e Lucy dançava suavemente sobre eles ao som dos devaneios de Mic, mas mesmo assim, a graciosidade e a leveza dela eram notadas. No fim das contas, era ela que entoava a canção que ditava o ritmo de Mickey, e ele tentava dançar conforme a sua música, mesmo não conseguindo sempre.

Após sete anos de casados, Lucy foi diagnosticada com um câncer agressivo em uma das mamas. Ela esteve perto do fim, e apesar de todos os esforços de sua família e de seus amigos, assim que o perigo maior passou, Mickey surtou. Enquanto ela se recuperava dos resquícios do tratamento da doença, Mickey se tratava na ala psiquiátrica do hospital do outro lado da cidade.

Eles tinham um contrato onde foram acordadas - entre eles, somente - cláusulas para que o casamento deles funcionasse. Mickey prometia tomar seus remédios direitinho, e Lucy prometeu que não ficaria pegando no pé dele o tempo todo por isso. Ele prometia ser sempre gentil, e ela prometeu que não brigaria com ele caso ele agisse feito um idiota quando surtasse. Dentre tantas cláusulas, a mais importante para eles era a que dizia que eles nunca teriam filhos, pois não queriam passar tanta "ziquizira" para a criança. Mas, como eu sempre digo aqui, o destino é um cara cretino. Ele faz coisas. Muda os planos. E foi o que aconteceu. Um milagre. Lucy engravidou, e tal notícia trouxe pânico a todos, mas principalmente, muita felicidade.

Mickey tentava se convencer de que seria um bom pai, e Lucy já tinha certeza de que ele seria. Eles estavam cada vez mais animados com a gravidez - era uma menina! - até que mais uma vez o destino resolveu dar uma "sacudida" na vida deles e lhes trouxe mais más notícias...

Como eu disse lá em cima, eu nunca chorei tanto ao ler um livro. E não foi só de tristeza e dor não! Chorei de alegria também, inúmeras vezes! É impossível não se envolver com cada momento narrado, desde os mais singelos como caminhadas pela cidade aos mais complicados como os perrengues que eles passam por causa das doenças de Mickey e Lucy. Os momentos de Lucy e sua irmã Lily também são lindos, dá pra sentir que suas almas estão conectadas. A gente se pega almejando morar numa cidadezinha agradável como Brinley, com vizinhos tão bacanas por perto. A gente se vê brigando com Priss diversas vezes por ela ser tão fria e nojentinha. Nos vemos querendo por Mickey no colo e consolá-lo.

Não dá pra mensurar o que o livro me ensinou e muito menos o que ele me fez sentir, mas posso dizer que ele me mudou e que irá me marcar para toda a vida.

A narrativa da autora é deliciosa e envolvente. Ela intercala a narrativa de Lucy com cartas escritas por Mickey narrando seus dias como numa espécie de diário. Os demais personagens têm papéis extremamente importantes e todos eles são muito bem trabalhados e explorados. A capa é maravilhosa e retrata exatamente o que encontramos no livro. A revisão da Arqueiro é uma das melhores que conheço, e a diagramação é muito linda.

Eu só tenho a implorar a vocês que leiam este livro.
Sei que eu faço isso sempre que eu adoro algo que leio, mas esse é imprescindível para a vida!
Aos psicólogos ou estudantes de psicologia de plantão... meu aviso aos navegantes: SIMPLESMENTE LEIA!


28 comentários:

  1. Oi, Fabi!
    Gente, esse livro é pra ler com uma caixa de lenços do lado hahhahha
    Eu acabei de sair do Carnaval da sofrência, mas quero ler esse livro algum dia.
    Beijos
    Balaio de Babados | Participe do sorteio do livro Marianas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, é preciso uma caixa de lenços e uma garrafa d'água pra reidratar.
      Apesar de ser um chororô danado, não é tãoooo sofrência assim, sabe... ele emociona de tantas formas diferentes que a gente num fica só sofrendo não, rs.
      Leia-o, por favor.
      O mundo precisa lê-lo!
      shaiuSHUIAHs


      BEijos

      Excluir
  2. Gosto de livros que te envolvam a ponto que se pergunte o porque de ter gasto seu dinheiro nele, não por ser ruim, não mesmo, mas por pagar para chorar ou passar por sentimentos nunca existentes antes. A capa, dedução e erro meu, me lembrou o livro Não Conte Para a Mamãe. Vi que não tem nada a ver, mas me trouxe tantas lembranças fortes que só posso desejar ler esse o mais breve possível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caio, sem dúvida Dançando sobre cacos de vidro nos faz pensar exatamente isso.
      E concordo que você precisa lê-lo o mais breve possível, rs.
      Ele é incrível, e o mundo inteiro precisa lê-lo!
      Hahha


      Beijos

      Excluir
  3. Esse livro é mais que isso, é uma verdadeira lição, um enredo muito bom, nada clichê e super dramático, não lembro de ter lido nada parecido,, gostei bastante, resenha bem explicadinha, já está recomendado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo demais, né Manu?
      Muitooooo amor!
      Vamos fazer campanha para o mundo inteiro ler o livro mais lindo de todos os tempos!

      Beijos

      Excluir
  4. Meu Deus, me interessei por ele desde li 100 pags, aguardei pela resenha ansiosa, e como disse lá no post me interessei por se tratar de doenças que me chamam atenção, e agora depois da resenha, acho e tenho certeza que assim tiver com o dindim em mãos será o primeiro a vir para minha estante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlinha, se estava ansiosa antes, acredito que agora ficou ainda mais mesmo, viu. Pq esse livro desperta tanta coisa na gente que fica complicado falar e despertar a vontade de quem lê a resenha de ler o livro. Fiquei feliz por saber que consegui essa façanha com todos vocês!
      Espero que vc o leia rapidinho, assim poderemos fofocar sobre ele! Rs

      BEijos

      Excluir
  5. Fabi eu to mega ansiosa pra ler, serio mesmo. Se tu que superou o chororô de "O caçador de pipas" (que é um dos 3 livros que mais me tocaram na vida), já imagino o que eu vou sentir com esse. Caramba, a história é muito emocionante, já entrou pra minha lista de compras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Crissie, sou durona pra caramba e raramente choro com livros. E esse superou e muitoooo O Caçador de pipas. Ele continua sendo um dos meus favoritos da vida, mas agora ele divide lugar com Dançando sobre cacos de vidro, sem dúvida!

      Beijos!

      Excluir
  6. Já estou com saudades de um livro assim, que me faça desidratar!!!! E esse parece se um livro que nos faz parar para pensar que nossa vida não é tao ruim assim, que pelo contrario é a vida que muitos queriam ter!!!! Amei a resenha....sinplismrnte perfeita!!! Brijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cooooom certeza pensamos isso mesmo, Kakau!
      E se quer desidratar, leia Dançando sobre cacos de vidro quando acabar de ler Como eu era antes de você.
      Acho que depois dos dois vc vai precisar tomar soro pra hidratar novamente... rs

      Beijos

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkk, devo admitir que Como eu era antes de você vira as paginas por si só, porem a Lou esta com muito mimi para quem perdeu o emprego e precisa sustentar a família!!! to pra dar na cara dela!!!!
      depois te chamo para fofocarmos sobre ele!!!

      Excluir
    3. Sabe que nem vi como mimimi essa relutância dela em relação aos empregos? Acho que pq eu já estive no lugar dela... depois de trabalharmos tanto tempo no mesmo lugar, quando vamos pra outro emprego as coisas simplesmente não parecem ser boas o bastante... rs
      Não fique brava com ela, coitada!
      kkkkkkkkkkkk

      Doida pra vc acabar de ler!

      Beijos

      Excluir
  7. quase chorei lendo a sinopse.... ou seja ja quero e quero e querooo pobre listinha a minhaaaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sHAIUshiHSIUHAs
      Lista enorme e linda a sua, viu... Tanta coisa boa que fica complicado escolher o que comprar e ler primeiro!
      Boa sorte... rs

      Beijos

      Excluir
    2. Ah, se vc quase chorou lendo a sinopse... prepara pra morrer de chorar quando ler o livro!

      Excluir
  8. Aii meu Deus, um livro que faz chorar mais que A menina que roubava livros e O caçador de pipas? Assim eu não aguento, já quero pra ontem esse livro.Pelo que pude perceber na resenha esse livro é muito mais do que uma história de amor,ele contem uma linda história de superação, amo livros assim com grandes reviravoltas e extremamente tocantes, eles mexem bem com nós leitores, prevejo que irei desidratar lendo ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elizângela, seja bem-vinda!
      Então, é exatamente isso que vc falou! Ele é mais do que um romance... é uma lição de vida inesquecível!
      Espero que goste tanto quanto eu! E prepare os lencinhos, rs

      Beijos!

      Excluir
  9. Ai meu Deus! Já li a sinopse desse livro mas nunca me interessou, sabe.
    Mas com a sua resenha já me apaixonei pelo livro!
    Quero ler e por favor que termine com um final feliz <3
    bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mich... Final feliz digno de fazer chorar mais ainda!
      Leia!

      Beijos

      Excluir
  10. Ahhh, esse livro enigmático!!!
    Eu ja fiquei encantada com ele, e assim q eu tiver uma folga na faculdade com esses estudos doidos.. Eu vou ler com certeza!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que leia e que goste tanto quanto eu, Fê!
      Esse livro é fantástico!

      Beijos

      Excluir
  11. Desde que vi o seu outro post sobre esse livro, li até a página 100, fiquei com vontade de lê-lo. E sua resenha me conquistou profundamente, amo quando os livros nos tocam desse jeito e quando isso acontece é especial. Vou adiantar ele nas minhas leituras, tamanha é a curiosidade que você me dexou. Espero gostar. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, também espero que vc goste. Esse livro, sem dúvida, faz parte dos melhores da vida.

      Beijos

      Excluir
  12. Olá...

    Aposto que esse é mais um daqueles livros que vou ler com lencinhos do meu lado... rsrsrs... Amei a resenha e com certeza é um título que entrou para minha lista...
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, lencinhos e mais lencinhos, e uma garrafa de água pra repor os líquidos perdidos!
      HSaiuHSUAIHS

      Beijos

      Excluir
  13. Oi!
    Não pensei que fosse gostar tanto desse livro mas ele me conquistou que historia linda e emocionante, parece o tipo de livro que ao mesmo tempo que e bem triste também e bem feliz e adorei a Lucy e o Mickey que parecem personagens bem forte e um casal apaixonante e estou curiosa sobre o que vai acontecer com certeza entro na minha lista de leitura !!

    ResponderExcluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo