Menu em imagem

Image Map

30 janeiro 2016

{Resenha} ~ O oceano no fim do caminho - Neil Gaiman ~

Bom dia, seus pipow lindos!
Como estão neste sabadão animado?
Eu to precisando de umas horas a mais pra poder fazer tudo o que preciso fazer no fim de semana!
Só dois dias está pouco demais, rs!
Mas ainda hei de encontrar uma forma de conciliar tudinho! #Amém

Agora chega de chorumelas, pois eu trouxe resenha de um livro muitooooo especial, de um autor mais especial ainda!
Gaiman entrou em minha vida quando eu ainda era criança. Em determinada passagem da infância, ele apareceu como quem não quer nada, através de Sandman. Ao invés de me dar medo, ele me encantou. E desde então, Gaiman é figurinha carimbada no meu álbum da vida, rs.
Há um bom tempo eu não lia nada do cara, e, na black fraude, me deparo com um livro dele que eu vinha namorando há muito tempo, O oceano no fim do caminho. 

Senhoras e senhores, estão prontos para esta aventura?

Quando li: Janeiro, 2016.
Título: O oceano no fim do caminho
Autor(a): Neil Gaiman
Editora: Intrínseca
Páginas: 202
Avaliação: 
Onde comprar? Submarino | Americanas | Amazon
Sinopse: Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos. Um dos inquilinos foi um minerador de opalas. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deviam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.
Ele sabia que os adultos não conseguiriam - e não deveriam - compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.
Sussex, Inglaterra.
Um homem de meia-idade volta ao passado quando retorna à sua antiga cidade. É possível notar que alguém de sua família faleceu, mas não importa quem foi. O que importa é que ele precisa voltar à sua antiga casa, precisa ver o anel de fadas... precisa ver a fazenda das Hempstock.

Quando ele se aproxima da propriedade de tijolinhos vermelhos e sente o cheiro de esterco, tudo parece voltar à sua mente, como se não tivesse acontecido há mais de quarenta anos, e sim ontem mesmo. Lettie Hempstock salvou sua vida. O salvou de uma pulga. Salvou sua família. Mas onde ela está agora? Austrália. Ela foi para a Austrália. Será? Dúvidas assombram sua memória.

Mas e o oceano?
Ela chamava aquele laguinho do seu quintal de oceano... ela era maluca, ele diz pra si mesmo. Mas então ele entende. Se lembra. Ele sabe que não é loucura. Aquilo é realmente um oceano. Mas como??? Como as Hempstock conseguiram fazer tudo aquilo para salvar sua vida? Lettie não está na Austrália! Está? O oceano! Ela está no oceano! Ela foi para lá após enfrentar as pragas  e salvar sua vida!

Que confusão!
Vamos voltar ao passado para entender.
Ele tem sete anos. Mora em uma casa espaçosa e confortável e, infelizmente, sua família tem tido dificuldades para manter não só a residência enorme mas também as contas da família. Diante de tal situação, resolvem que irão alugar o quarto do topo da escada para pessoas que precisem de uma estadia agradável. O quarto dele. Que tem uma pia amarela feita pra ele, do seu tamanho. O quarto onde ele viaja através dos livros na calada da noite, escondido de seus pais. Agora, ele se será de outra pessoa. De outras tantas pessoas.

Um Minerador de opalas chega a cidade e está em busca de um lugar pra ficar, e logo encontra o casarão com lindos jardins e uma família agradável para hospedá-lo. Mas sua chegada já causa sofrimento imediato ao garotinho de sete anos. O táxi em que o Minerador chega atropela seu gatinho de estimação. O tal cara ficará em seu amado quarto com uma pia amarela feita para ele, do seu tamanho. O tal cara trás muito mais problemas do que todos eles esperavam.

Certa noite o carro da família é roubado, e somente no dia seguinte dão por falta dele - graças à lembrança do pai de que a revista em quadrinhos que comprou para o filho está no banco de trás do carro. Imediatamente a polícia é acionada, e o pai é informado de que o carro está a pouco mais de um quilômetro de sua residência. O garotinho acompanha seu pai, ansioso por sua revistinha. Ao chegarem ao local onde o carro foi abandonado, descobrem que o Minerador de opalas encontra-se dentro dele. Morto. Suicídio.

A comoção é grande e o garoto fica atordoado, mas Lettie Hempstock o salva pela primeira vez. Ela se oferece para levá-lo à sua fazenda para que ele possa descansar até tudo estar resolvido. Lettie, de apenas onze anos, o guia até uma fazenda agradável, onde uma senhora ordenha uma vaquinha alegremente. Ele toma café da manhã e começa a se esquecer dos acontecimentos, até que as Hempstock começam a fazer comentários sobre eles. Mas não são meros comentários. Elas parecem saber o por que de tudo isso. Parecem entender exatamente o que aconteceu e preveem que o ato do Minerador de opalas desestruturou a ordem natural das coisas, fez com que "coisas ruins" fossem acordadas. E agora elas podem estar por aí, vagando livremente, prontas para fazer todo tipo de maldade.

Lettie se oferece para acalmar tais "coisas" e leva seu novo amigo em sua jornada. Eles caminham dentro do quintal da garotinha de forma curiosa, seguindo dicas dadas por uma varinha tirada da natureza. Essa tal varinha os leva ao ser que causou tudo isso. Ela está livre e enfrenta Lettie e o garotinho de frente. Lettie orienta o garotinho a não soltar sua mão por nada, pois algo grave pode acontecer.

A pulga, um ser que habita as terras mais profundas e tem o dom de realizar os desejos das pessoas mas de forma destorcida, ataca as duas crianças violentamente, mas Lettie entoa um canto antigo, uma espécie de canção de ninar, e tal canção parece exercer muita força sobre a pulga, mas nem isso a faz deixar de atacar. Um de seus golpes atinge o garoto que, por impulso, solta a mão de Lettie para se defender. A pulga vai embora e eles acham que agora tudo vai ficar bem... mas estão enganados.

O garoto serve de túnel para que a pulga habite seu mundo e, de forma espantosa, ela toma forma, a forma de uma babá extremamente bonita que controla a mente dos seus pais e de sua irmã. Ela o impede de sair de casa a fim de evitar que ele chegue até as Hempstock, pois somente elas podem tirar aquele ser sombrio e malvado de sua casa, de sua vida. E agora?

Falando assim, até parece que se trata de um conto de fadas com bruxas malvadas e bruxas boazinhas. E não deixa de ser. Mas não pensem vocês que nos deparamos com um livro infantilizado e boboca. Se enganarão a respeito disso.

A fantasia que contém no livro é tão bem criada e bem elaborada que nos faz acreditar nela. Faz com que pensemos que tudo aquilo é possível de acontecer, que toda a maldade do mundo se resume a tais pulgas e que somente pessoas que entoam cantos amorosos e costuram situações com atenção e amor podem detê-los.

É impossível falar pra vocês algo que os atraia para a leitura. Primeiro por que eu tenho muita dificuldade de resenhar livros que tenham sido especiais pra mim, que tenham mexido comigo. E segundo por que é o tipo de emoção que só sentimos ao lermos o livro, e não lendo uma resenha!

Gaiman tem o dom de fazer nossa mente acreditar piamente em tudo o que ele diz. Ele é magistral! Sua narrativa é leve, fluida, gostosa. É impossível largar o livro! Impossível não se prender a ele, não se render à estória.

Eu queria muitoooo convencer todos vocês a lerem O oceano no fim do caminho. Juro.
Acho que todos nós precisamos acreditar em anéis de fadas, em pulgas, e em pragas também. E precisamos entender que um simples laguinho pode sim ser um oceano. Que nele pode conter todo o conhecimento sobre tudo no mundo.

A resenha mais confusa, ever.
Mas a mais cheia de sentimentos.

Leiam,


23 comentários:

  1. Oi, Fabi!
    Acredita que nunca li nada do Gaiman. Mas, desde que descobri que ele escreveu Stardust, venho ansiando para ler algo e nunca consigo.
    Gente! Que livro é esse!!! Mesmo confusa, deu pra perceber seus sentimentos em relação ao livro.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu! Leia Gaiman!
      SHiuaHSIUAHs

      É como eu disse, não consigo me expressar direito quando amo demais um livro!
      Sabe quando vc quer que o mundo inteirinho leia mas num sabe o que dizer pra fazer as pessoas lerem? É isso!!!!

      Enfim... Leia Gaiman!
      shIUHSUIAHS

      Beijos!

      Excluir
  2. Olá :D
    Eu sempre achei as resenhas desse livro bem confusas, rs. Então fico pensando: será que o livro é confuso também? Nunca li nada do autor e tenho um certo medo porque parecem sombrios, mas quem sabe eu não dê uma chance?
    Beijos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roberta, acredito que todos que tenham resenhado este livro tenham a mesma dificuldade que eu.
      O enredo é complicado de se explicar, mas juro juradinho que não tem nada de confuso, pelo contrário!
      Mas ele mexe muito com quem lê, sabe. Talvez seja por isso que as resenhas se tornem confusas... e, creio eu, que o fato de ser uma fantasia também dificulte.
      Mas, mais uma vez, juro juradinho que a leitura suuuuuuper vale a pena!
      Dê uma chance, vai!
      Hahhha


      Beijos

      Excluir
  3. Oi Fabi, que capa incrível, não conhecia esse escritor, a sinopse achei super diferente o livro parece ter um pouco de suspense já coloquei na minha lista de leitura e como sempre sua resenha está incrível bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fê, a capa é incrível, né?
      Ela super tem a ver com o enredo... Só lendo pra entender.
      O título também condiz com o conteúdo... E realmente tem suspense que não acaba mais!
      É lindo de morrer!
      Leia leia leiaaa!
      shIAShUIAHs


      Beijos

      Excluir
  4. Ai é tao bom quando um escritor entra nas nossa vidas!!! na minha tenho dois!!! Nicholas Sparks que ja esta a muito tempo, e Sarah Jio!!! que me encantou com O BANGALÔ .
    este livro parece ser legal, pena que não consigo ler livros assim!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando um autor entra na nossa vida pra ficar ele meio que faz parte da família, né?
      Uma pena vc num conseguir ler livros assim! Se bem te conheço, acho que vc ia gostar!
      Quem sabe outro dia, hein?
      Beijos!

      Excluir
  5. O único livro que li do autor foi Stardust e gostei bastante, gostei da resenha e tenho interesse em ler o livro mais para frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manu! Espero que leia e que goste!
      Esse cara tem o dom da escrita! *------*

      Beijos!

      Excluir
  6. Conheço esse livro há tempos, mas se não fosse pela capa, nunca teria me chamado atenção. Lendo sua resenha, eu fiquei bem confusa, confesso. Acho que teria de ler pra absorver um pouco mais a história. O livro é pequeno e de acordo com a sua nota e opinião parece que vale a pena!
    Adorei o que escreveu no final da resenha:
    "A resenha mais confusa, ever.
    Mas a mais cheia de sentimentos."
    É disso que mais precisamos, né? Livros e resenhas cheios de sentimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ingrid, sem dúvida sentimento não faltou nela, viu.
      Eu nem ia fazer a resenha, pra vc ter ideia de como eu estava me sentindo em relação a ele.
      Apesar da resenha confusa, o livro não tem nada de confuso, pois Gaiman constrói tudo de forma leve e sucinta, mesmo tratando-se de fantasia. Por isso o livro é curto, pois ele é objetivo!
      A leitura super vale a pena!
      Espero que se o ler, ele lhe provoque tanto quanto provocou a mim! :D

      Beijos!

      Excluir
  7. Conheço o autor, mas sinceramente, achei a capa deprimente e da um pouco de medo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana! Não se assuste, rs!
      A capa super tem a ver com a história e tenho certeza que após lê-la vc achará a capa linda! Rsrsr...

      Beijos!

      Excluir
  8. Gosto de livros que envolvem o meu trabalho... então quando li Suicídio já sabe... quero ler hahhahahahhha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro devia ser obrigatório na facul de psico, Aline!
      Já te adiantou que não tem nada a ver com nossa queria área, mas ele mexe tanto com nosso subconsciente que sim, deveria ser obrigatório lê-lo!
      Amor sem fim! <3

      Haha

      Beijos!

      Excluir
    2. não tem nada a ver mas tem tudo a ver hahaha saquei... ja querooooooooo

      bjuss

      Excluir
  9. A resenha está ótima e tive relamentd a sensação de está lendo o livro. Gostei bastante, vai para lista de desejos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, espero que o leia e se apaixone tanto quanto eu!
      Esse livro se tornou especial...

      Beijos!

      Excluir
  10. Conseguiu me converser a ler.
    kkkkkk apesar de não fazer muito meu gênero literário, você conseguiu me vender esse livro, amei sua resenha, os detalhes que você deu, os personagens, ha estoria em si não me atraiu mas do seu ponto de vista é algo totalmente diferente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aeeeeeeeeewwwwwwwwwww!!!!!!!!!!
      Woooohooooo

      SHIAHsiAHSIUHAs
      Eu queria que o mundo inteiro lesse esse livro, Marlene!
      Ele é tão... aiai!
      shAIshiuAS

      Espero que goste!
      BEijos!

      Excluir
  11. Oi!
    Já tinha visto esse livro antes mas é a primeira resenha que leio de O oceano no fim do caminho e fiquei com muita vontade de ler esse livro mesmo não sendo o tipo de leitura que gosta a historia me encantou e quero dar uma chance !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suzana, acho que vc nem vai se arrepender em dar uma chance a ele, rs.
      Ele é lindo, perfeitoooo!

      Beijos!

      Excluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo